sicnot

Perfil

Mundo

Drástica lei antitabagista entrou hoje em vigor em Pequim

A vida tornou-se hoje mais difícil para cerca de 4,2 milhões de habitantes de Pequim com a entrada em vigor de uma drástica lei antitabagista que proíbe fumar em todos os locais públicos fechados da cidade.

reuters

À porta do "Groove", um concorrido café perto do Estádio dos Trabalhadores, na zona oriental da capital chinesa, que tinha uma área de reservada para fumadores, está agora afixado este aviso: "A partir de aqui é proibido fumar".

Quem violar a lei, incorre numa multa de 200 yuan (30 euros), mas os proprietários poderão ter de desembolsar uma quantia muito maior, que poderá ir até 10.000 yuan (1.500 euros).

"A chave do problema está nos proprietários. Eles têm a responsabilidade de assegurar que não se fuma dentro dos seus estabelecimentos", afirmou o presidente de uma associação antitabagista municipal.  

A China é o maior produtor e consumidor de tabaco, com cerca de 300 milhões de fumadores, e em Pequim, aquele número corresponde a 23,4% da população com mais de 15 anos de idade.

Pelas contas da Comissão Nacional de Saúde e Planeamento Familiar, um organismo com estatuto ministerial, as doenças provocadas pelo tabaco causam anualmente na China mais de um milhão de mortos.

A proibição de fumar imposta hoje estende-se a alguns lugares públicos ao ar livre, entre os quais escolas, hospitais e estádios.

"Pequim colocou a fasquia muito alta. Vamos agora aguardar o farão as outras cidades da China e do mundo, depois deste excelente exemplo", disse o representante da Organização MNundial de Saúde (OMS) na China, Bernhard Schwartlander, citado pelo China Daily.

"Vários milhares de inspetores" estão a ser treinados pelo governo municipal de Pequim para inspecionar os locais visados pela nova lei e "milhares de voluntários" serão também mobilizados através das comissões de moradores, disse o jornal.

As autoridades criaram até uma linha telefónica especial para receber queixas da população acerca de eventuais violações da lei.

"Todos temos um papel a desempenhar. Se virem alguém a fumar num restaurante, digam-lhe para parar", disse o representante da OMS num apelo à população local.

Segundo um estudo do Centro de Controlo Sanitário de Pequim, os fumadores da cidade consomem em média 14,6 cigarros por dia.

O preço de um maço de cigarros na China varia de 4 yuan (60 cêntimos) e 100 yuan (15 euros).

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.