sicnot

Perfil

Mundo

Maio foi o mês mais sangrento de 2015 na Síria

Maio foi, até agora, o mês mais sangrento deste ano na Síria, com pelo menos 6.657 mortos na guerra no país, segundo informação divulgada hoje pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), citado pela Agência France Presse (AFP). 

© Hassan Abdallah / Reuters

De acordo com a organização, baseada em Londres e que monitoriza a guerra civil no país, o número inclui pelo menos 1.285 civis, mais de metade vítimas dos ataques aéreos do regime.

O enviado da Organização das Nações Unidas para a Paz na Síria, Staffan de Mistura, condenou no domingo o bombardeamento de bairros civis pelo regime, ações que considerou "totalmente inaceitáveis".

O OSDH informa ainda que 793 dos mortos de maio eram militantes das forças rebeldes e curdas, enquanto as vítimas entre os 'jihadistas' - incluindo os grupos radicais Estado Islâmico e a Frente al-Nusra (afiliada da al-Qaeda) - foram 2.109.

Segundo as contas do OSDH, 2.242 elementos do regime foram mortos, a maior parte soldados, e o número inclui 208 estrangeiros pró-regime, entre eles militantes do movimento xiita libanês Hezbollah.

Os dados de maio representam um aumento de mais de 2.000 mortos em comparação com abril, que contou com 4.458 vítimas da guerra.

Durante o mês de maio, várias ofensivas violentas contra as forças governamentais resultaram em perdas de território por parte das forças de Assad em diferentes regiões da Síria.

O grupo Estado Islâmico tomou o controlo da cidade histórica de Palmyra a 21 de maio, depois de nove dias de combates, e grupos rebeldes liderados pela Frente al-Nusra expulsaram as forças do regime de várias áreas e povoações na província de Idlib, no noroeste do país.

Desde o seu começo em março de 2011, o conflito na Síria já fez cerca de 220.000 mortos e causou milhões de refugiados.

Lusa
  • Marcelo quer fazer mais e melhor
    0:48

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa quer fazer mais e melhor no segundo ano enquanto Presidente da República. Marcelo fez esta terça-feira um balanço do primeiro ano em Belém, dizendo que é preciso não perder o que se conseguiu em termos de recuperação económica mas que é preciso ser mais ambicioso.

  • "Andem lá com isso!"
    0:42
  • "A Miss Helsínquia é a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza"

    Mundo

    Sephora Lindsay Ikabala venceu o concurso Miss Helsínquia 2017 e, desde então, tem vindo a ser insultada e criticada nas redes sociais. A nigeriana de 19 anos vive na cidade desde criança. "A Miss Helsínquia é literalmente a mulher mais feia que já vi num concurso de beleza", é apenas um dos muitos comentários que circula nas redes sociais.