sicnot

Perfil

Mundo

Descoberto no Egito fóssil de baleia pré-histórica mais completo de sempre

Investigadores egípcios descobriram um jazido de fósseis de baleia com cerca de 40 milhões de anos, entre os quais se destaca o esqueleto de cetáceo mais completo descoberto até hoje, segundo o ministro do Meio Ambiente egípcio, Jaled Fahmi.

Os especialistas destacam entre os restos encontrados os do "Basilossaurus", por ser o maior e melhor conservado fóssil de baleia descoberto até hoje, com um comprimento de 18 metros e um esqueleto íntegro que conserva até as mais pequenas vértebras da cauda. (Arquivo)

Os especialistas destacam entre os restos encontrados os do "Basilossaurus", por ser o maior e melhor conservado fóssil de baleia descoberto até hoje, com um comprimento de 18 metros e um esqueleto íntegro que conserva até as mais pequenas vértebras da cauda. (Arquivo)

© Pilar Olivares / Reuters

Segundo a agência espanhola EFE, o ministro anunciou hoje numa conferência de imprensa, no Cairo, que a descoberta foi feita em Wadi al Hitan (Vale das Baleias), situado na província de Al Fayum, a sudoeste da capital, e famoso pela grande quantidade de fósseis de cetáceos lá descobertos.

Os especialistas destacam entre os restos encontrados os do "Basilossaurus", por ser o maior e melhor conservado fóssil de baleia descoberto até hoje, com um comprimento de 18 metros e um esqueleto íntegro que conserva até as mais pequenas vértebras da cauda.

Foram identificados restos de ossadas de criaturas marinhas no interior do estômago do cetáceo, o que revela o tipo de alimentação e a fauna que existia na região há 40 milhões de anos.

Os investigadores encontraram também uma grande quantidade de dentes de tubarão ao lado do "Basilossaurus", o que indica que os tubarões se terão alimentado da carcaça da baleia pré-histórica.

O ministro egípcio adiantou ainda que a Itália está a ajudar na preservação da zona e na criação do que será o primeiro museu de fósseis no Médio Oriente, que mostrará a história geológica da zona e as mudanças que se registaram em Al Fayum, e que será inaugurado em breve.

A existência de esqueletos fósseis de cetáceos levou em 2005 a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) a declarar Wadi al Hitan Património Natural da Humanidade.

Lusa
  • Os efeitos dos incêndios na natureza
    2:46

    País

    Cheias frequentes, erosão dos solos e contaminação dos rios e albufeiras são as previsões unânimes da comunidade científica para os próximos tempos, na sequência dos incêndios florestais. À SIC, o hidrobiólogo Adriano Bordalo Sá e o investigador de recursos florestais Rui Cortes alertam: é necessário começar a tratar da terra queimada o mais rapidamente possível.

  • Número de vítimas mortais dos incêndios sobe para 45

    País

    Uma pessoa que estava internada no Hospital da Prelada, Porto, na sequência dos incêndios do dia 15 nas regiões Centro e Norte, morreu hoje, anunciou a unidade hospitalar, subindo assim para 45 o número de vítimas mortais daqueles fogos.

  • Os melhores do mundo pela FIFA da última década

    Desporto

    O português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi têm repartido de forma igual os prémios de melhor jogador do mundo pela FIFA, na última década. Apesar destes dois nomes serem os mais falados, muitos outros jogadores foram nomeados para o prémio. Conheça a lista dos nomeados e dos vencedores desde 2007.

  • Achado inédito encontrado na nau de Vasco da Gama naufragada em Omã

    Mundo

    Uma equipa de investigadores afirma ter encontrado, ao largo da costa de Omã, o mais antigo instrumento de navegação alguma vez descoberto. O achado arqueológico é um astrolábio e terá sido localizado no meio do que resta da nau Esmeralda, da frota de Vasco da Gama, naufragada no Oceano Índico em 1503.

    SIC

  • "Isto destrói famílias"
    0:46
  • Eurodeputados homenageiam vítimas dos fogos
    1:38

    País

    A União Europeia vai doar os 50 mil euros do prémio Princesa das Astúrias às populações afetadas pelos incêndios em Portugal e Espanha. A Comissão Europeia continua a avaliar o pedido ao Fundo Europeu de Solidariedade, mas o pedido deverá ainda ser atualizado para incluir os prejuízos causados pelos incêndios da semana passada.