sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 440 pessoas ainda desaparecidas em naufrágio no rio Yangtze, China

Mais de 440 pessoas que viajam a bordo do navio naufragado na segunda-feira à noite no rio Yangtze, na China, a maioria idosos entre os 50 e 80 anos, continuavam desaparecidas cerca de 17 horas depois do acidente.

Sobrevivente do naufrágio no rio Yangtze, China.

Sobrevivente do naufrágio no rio Yangtze, China.

© China Stringer Network / Reut

Um balanço difundido cerca das 15:00 (08:00 em Lisboa) pela agência noticiosa oficial chinesa Xinhua indicava cinco mortos confirmados e doze pessoas resgatadas.

O naufrágio poderá ser o pior do género registado em décadas na China, disse a Xinhua.

 Mergulhadores conseguiram salvar uma mulher de 65 anos que se encontrava dentro do navio, mas ao início da manhã (hora local), o vento forte e a chuva estavam a dificultar as operações de busca e salvamento.

O acidente ocorreu na segunda-feira à noite, cerca das 21:30, quando o navio "Dongfangzhixing" (Estrela do Oriente) foi atingido por ventos de 130 quilómetros à hora.

O capitão e o engenheiro-chefe da embarcação, entretanto detidos, disseram que o barco se afundou "no espaço de um a dois minutos".

"Foi tão rápido que o capitão nem teve tempo de dar sinal de alerta", disse Wang Yangsheng, funcionário superior do Centro de Socorro Marítimo de Yuegang, citado pela agência Xinhua.

Na altura, seguiam a bordo 406 passageiros e 47 tripulantes.

As idades dos passageiros vão dos 3 aos 83 anos, mas a maioria está na casa dos 60 e 70. 

O barco, com 76 metros de comprimento e quatro andares, seguia de Nanjing para Chongqing, duas das grandes cidades atravessadas pelo rio Yangtze. 

Mais de uma centena de barcos e quase cinco mil pessoas, entre as quais 1.840 soldados e 1.600 agentes da polícia, foram mobilizados para as operações de busca e salvamento, indicou a imprensa oficial.

O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, deslocou-se também ao local do naufrágio, uma zona com 15 metros de profundidade, situada em Jianli, na província de Hubei.

Com quase 20 anos de serviço e capacidade para transportar 534 pessoas, o "Dongfangzhixing" fazia regularmente passeios turísticos no Yangtze.

Trata-se do terceiro maior rio do mundo, a seguir ao Nilo e ao Amazonas, com 6.300 quilómetros de extensão.



Lusa
  • Centenas de desaparecidos em naufrágio na China
    0:45

    Mundo

    Um barco com 458 passageiros naufragou ontem na zona sul do rio Yangzte, na província de Hubei, na China. Pelo menos 13 pessoas foram resgatadas numa operação de salvamento dificultada por ventos e chuvas fortes. De acordo com a cadeia britânica BBC, cinco pessoas morreram e centenas continuam desaparecidas. Cerca de 30 navios estão no local. O primeiro-ministro chinês também se deslocou à zona do naufrágio. O capitão do navio foi uma das pessoas resgatadas. Contou que o acidente terá ocorrido quando o barco foi atingido por ventos de 130 quilómetros por hora e que se afundou no espaço de um ou dois minutos.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.