sicnot

Perfil

Mundo

Omar al-Bashir toma posse como Presidente do Sudão por mais cinco anos

Omar al-Bashir, de 71 anos, tomou hoje posse como presidente do Sudão para um novo mandato de cinco anos, após ter sido reeleito para o cargo nas eleições realizadas em abril com 94 por cento dos votos.

© Stringer Shanghai / Reuters

No poder desde 1989 e procurado pelo Tribunal Penal Internacional desde 2009 por crimes de guerra, Al-Bashir afirmou no seu discurso de tomada de posse no parlamento que será presidente "de todos os sudaneses" e que trabalhará pela "paz e prosperidade do país, com esperança de manter a estabilidade e a segurança".

As eleições presidenciais do Sudão registaram uma baixa taxa de participação, tendo sido boicotadas pelos principais partidos da oposição, a quem o chefe de Estado pediu hoje que participe no diálogo nacional para "resolver as diferenças".

"Esta nova etapa será de honestidade e transparência e existirá uma vontade decisiva para combater a corrupção", sublinhou o presidente.

Al-Bashir comprometeu-se, por outro lado, a alcançar a paz nas regiões conflituosas do Darfur, Kordofan do Sul e Nilo Azul.

O Partido do Congresso Nacional de Al-Bashir também manteve o controlo do parlamento, quando em abril venceu as eleições legislativas, conseguindo 323 dos 426 lugares em disputa.

Os presidentes do Egito, Abdel Fattah al-Sissi, do Zimbabué, Robert Mugabe, e do Quénia, Uhuru Kenyatta, foram alguns dos dignitários estrangeiros que assistiram à cerimónia da tomada de posse.

Há anos que o Sudão está isolado a nível internacional.

Desde 1997 que é alvo de um embargo económico norte-americano devido a alegadas violações dos direitos humanos e ligações ao terrorismo. Cartum deu guarida ao líder da Al-Qaida, Usama bin Laden, durante cinco anos no início dos anos 1990.

Em 2009, o Tribunal Penal Internacional emitiu um mandado de captura contra Al-Bashir por crimes de guerra e contra a humanidade no Darfur, região do oeste do país martirizada por um conflito étnico-cultural desde 2003.

Além dos conflitos armados que afetam metade dos seus 18 estados, o Sudão perdeu cerca de 75% dos seus recursos petrolíferos com a secessão do sul, que se tornou o Estado do Sudão do Sul em 2011.


Lusa
  • Presidente do Sudão reeleito com 94,5% dos votos

    Mundo

    O Presidente sudanês, Omar al-Bashir, foi reeleito para um mandato de cinco anos com 94,5% dos votos, anunciou hoje a Comissão Eleitoral do Sudão. A vitória de Bashir num escrutínio boicotado pela oposição era esperada. 

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário ou ainda esta sexta-feira, em formato online.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.