sicnot

Perfil

Mundo

Juiz chileno condena 31 agentes da ditadura de Pinochet

Um juiz chileno condenou a diversas penas de prisão 31 agentes da ditadura de Augusto Pinochet pelo sequestro qualificado (desaparecimento) de dois irmãos detidos em 1974, informaram hoje fontes judiciais.

© Reuters Photographer / Reuter

Entre os condenados pelo juiz especial Hérnan Crisosto, da Comarca de Apelaciones de Santiago, destaca-se o general Manuel Contreras, ex-chefe da DINA, a polícia secreta de Pinochet, que acumula 500 anos de prisão depois de ser condenado em dezenas de juízos por violações dos direitos humanos.

Contreras foi condenado agora a 20 anos de prisão pelo desaparecimento de Carlos e Aldo Pérez Vargas, ambos membros do Movimento de Esquerda Revolucionária (MIR) - um grupo que resistiu com armas à ditadura - , detidos em 10 e 23 de setembro de 1974.

Também a 20 anos foram condenados outros quatro destacados oficiais da DINA, próximos de Contreras, os brigadeiros Pedro Espinoza e Miguel Krassnoff, e os coronéis Marcelo Moren e César Manquírez, como autores do delito.

Outros 16 ex-agentes, entre os quais uma mulher, foram condenados a 12 anos de prisão, enquanto mais quatro foram condenados a 10 anos, como autores do sequestro de Aldo Pérez.

Seis ex-agentes receberam condenações de cinco anos e um dia, como cúmplices de ambos os delitos.








Lusa
  • As mulheres na clandestinidade durante o Estado Novo
    7:32

    País

    Não se sabe quantas mulheres portuguesas viveram na clandestinidade durante o Estado Novo, mas estiveram sempre lado a lado com os homens que trabalhavam para o Partido Comunista na luta contra a ditadura. Aceitavam serem separadas dos filhos e mudarem de identidade várias vezes ao longo dos anos. A história de algumas destas mulheres estão agora reunidas num livro que acaba de ser lançado.