sicnot

Perfil

Mundo

ONU admite inquérito independente à violação de crianças por militares

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) admitiu realizar um inquérito externo independente às alegadas agressões sexuais sobre crianças feitas por soldados franceses e africanos na República Centro-Africana, disse esta quarta-feira um seu porta-voz.

A ONU tem sido vivamente criticada pela sua lentidão em responder às alegações de abusos sexuais muito graves sobre crianças, que também já motivou um inquérito das autoridades francesas, que está em curso.

A ONU tem sido vivamente criticada pela sua lentidão em responder às alegações de abusos sexuais muito graves sobre crianças, que também já motivou um inquérito das autoridades francesas, que está em curso.

© Reuters Photographer / Reuters

"A intenção de Ban Ki-moon, com a promoção deste inquérito, é garantir que a ONU não abandona as vítimas de abusos sexuais, em particular quando são feitos por aqueles que deveriam proteger" as populações, adiantou o porta-voz, Stéphane Dujarric.

A ONU tem sido vivamente criticada pela sua lentidão em responder às alegações de abusos sexuais muito graves sobre crianças, que também já motivou um inquérito das autoridades francesas, que está em curso.  

Mais grave, porém, foi a acusação à ONU de ter castigado o funcionário que, por livre iniciativa, transmitiu um relatório às autoridades francesas para as alertar. 

O assunto foi revelado em abril pelo diário britânico The Guardian, que mencionou um relatório da ONU com testemunhos de crianças que afirmaram ter sido violadas por militares franceses, no início da intervenção militar da França na República Centro-Africana, que durou de dezembro de 2013 a junho de 2014, em troca de alimentação. 

A França anunciou em maio que 14 soldados franceses estão acusados neste caso, potencialmente desastroso para a imagem da França e dos seus militares em África. 

As crianças, com idades entre os oito e os 13 anos, também teriam sido violadas por soldados do Chade e da Guiné Equatorial. 

A organização Aids Free World (Um Mundo sem Sida), que divulgou um relatório interno da ONU, denunciou que dirigentes da ONU estavam ao corrente das alegações de violação, mas não fizeram nada.

"Houve procedimentos que falharam aqui", reconheceu Dujarric, perante os jornalistas. "Este caso não foi gerido como o secretário-geral pretendia", acrescentou. 
Lusa
  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem no Coachella e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.