sicnot

Perfil

Mundo

Obama promulga reforma de lei que reduz poderes da NSA

© Kevin Lamarque / Reuters

Em comunicado, a Casa Branca informou que Obama assinou o diploma, promulgando a reforma, batizada de "Lei da Liberdade dos Estados Unidos, a qual tem como objetivo limitar à NSA a recolha de metadados telefónicos (hora, duração, número), a mais contestadas das medidas de vigilância impostas no âmbito da Lei Patriota, aprovada após os atentados de 11 de setembro de 2001.

Pouco depois da aprovação pelo Senado, o Presidente norte-americano expressou a sua satisfação, por considerar que a reforma vai proteger tanto as liberdades individuais, como a segurança nacional.

Os Estados Unidos vão continuar com as suas práticas de vigilância. Contudo, deixará de ser a Administração norte-americana a compilar diretamente a informação dos cidadãos -- a qual passa a ficar na posse das operadoras telefónicas. 

Caso seja preciso aceder a esses dados, por motivos de segurança nacional, estes podem ser especificamente facultados.


Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.