sicnot

Perfil

Mundo

Parlamento Europeu restringe acesso de diplomatas russos

 O Parlamento Europeu (PE) decidiu restringir o acesso de dois diplomatas russos em Bruxelas às suas instalações, medida qualificada hoje por Moscovo como uma "caça às bruxas". 

© Vincent Kessler / Reuters

A decisão do presidente do PE, Martin Shulz, anunciada na terça-feira, é uma resposta à proibição pela Rússia de entrada no seu território de 89 responsáveis da União Europeia (UE), decidida como retaliação pelas sanções aplicadas a Moscovo pelo conflito na Ucrânia.

"Na sequência da publicação da 'lista negra' de políticos e funcionários europeus, o presidente do PE, Martin Shulz, informou o embaixador da Rússia na UE de que, dada a falta de transparência das autoridades russas quanto às suas decisões, considera ser agora justificado tomar medidas apropriadas de resposta", lê-se num comunicado do gabinete de Shulz.

As medidas, indica o comunicado, envolvem "restringir o acesso livre ao Parlamento do embaixador (Vladimir Chizhov) e de um outro diplomata nomeado", o qual não é identificado.

Além disso, o PE "suspende a sua cooperação com a Comissão Parlamentar de Cooperação UE-Rússia" e passa a avaliar os pedidos de acesso ao PE de deputados russos "caso a caso".

"A caça às bruxas contra os russos começou. Fica-se às vezes com a impressão de que os burocratas europeus estão a regressar aos tempos da Inquisição", reagiu a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo Maria Zakharova, numa mensagem colocada no Facebook.

"O que se segue? Julgamentos eclesiásticos de diplomatas russos seguidos de queimas na fogueira em Bruxelas?", acrescentou.

O presidente da comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros do Conselho da Federação (câmara alta do parlamento russo), Konstantin Kosachev, pediu por seu lado às autoridades que adotem novas medidas de retaliação contra Bruxelas.

"Simétricas ou assimétricas, têm de ser tomadas", disse, também no Facebook.

O parlamentar acusou a UE de duplicidade de citérios, afirmando que Bruxelas não compreendeu que a 'lista negra' é uma resposta às sanções impostas à Rússia pelo conflito na Ucrânia.

A "lista negra" russa, transmitida na sexta-feira às embaixadas, é constituída por 89 nomes de ex-primeiros-ministros, militares e deputados críticos da política da Rússia em relação à Ucrânia.
  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • Cinco unidades fabris em Tondela destruídas pelas chamas
    3:06

    País

    As contas finais dos prejuízos na zona industrial de Tondela ainda não são definitivas, mas há cinco unidades fabris que foram atingidas pelas chamas. O aterro sanitário do Planalto Beirão foi também atingido pelo fogo que atravessou Tondela, onde ardeu o equivalente a 20 anos de resíduos orgânicos.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.