sicnot

Perfil

Mundo

Parlamento Europeu restringe acesso de diplomatas russos

 O Parlamento Europeu (PE) decidiu restringir o acesso de dois diplomatas russos em Bruxelas às suas instalações, medida qualificada hoje por Moscovo como uma "caça às bruxas". 

© Vincent Kessler / Reuters

A decisão do presidente do PE, Martin Shulz, anunciada na terça-feira, é uma resposta à proibição pela Rússia de entrada no seu território de 89 responsáveis da União Europeia (UE), decidida como retaliação pelas sanções aplicadas a Moscovo pelo conflito na Ucrânia.

"Na sequência da publicação da 'lista negra' de políticos e funcionários europeus, o presidente do PE, Martin Shulz, informou o embaixador da Rússia na UE de que, dada a falta de transparência das autoridades russas quanto às suas decisões, considera ser agora justificado tomar medidas apropriadas de resposta", lê-se num comunicado do gabinete de Shulz.

As medidas, indica o comunicado, envolvem "restringir o acesso livre ao Parlamento do embaixador (Vladimir Chizhov) e de um outro diplomata nomeado", o qual não é identificado.

Além disso, o PE "suspende a sua cooperação com a Comissão Parlamentar de Cooperação UE-Rússia" e passa a avaliar os pedidos de acesso ao PE de deputados russos "caso a caso".

"A caça às bruxas contra os russos começou. Fica-se às vezes com a impressão de que os burocratas europeus estão a regressar aos tempos da Inquisição", reagiu a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo Maria Zakharova, numa mensagem colocada no Facebook.

"O que se segue? Julgamentos eclesiásticos de diplomatas russos seguidos de queimas na fogueira em Bruxelas?", acrescentou.

O presidente da comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros do Conselho da Federação (câmara alta do parlamento russo), Konstantin Kosachev, pediu por seu lado às autoridades que adotem novas medidas de retaliação contra Bruxelas.

"Simétricas ou assimétricas, têm de ser tomadas", disse, também no Facebook.

O parlamentar acusou a UE de duplicidade de citérios, afirmando que Bruxelas não compreendeu que a 'lista negra' é uma resposta às sanções impostas à Rússia pelo conflito na Ucrânia.

A "lista negra" russa, transmitida na sexta-feira às embaixadas, é constituída por 89 nomes de ex-primeiros-ministros, militares e deputados críticos da política da Rússia em relação à Ucrânia.
  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Samsung vai vender modelos reparados do Galaxy Note 7

    Economia

    A Samsung Electronics anunciou hoje que vai vender e alugar telemóveis reparados do modelo Galaxy Note 7 depois de no ano passado a empresa ter decidido suspender a respetiva produção devido a incêndios nas baterrias de íon-lítio.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.