sicnot

Perfil

Mundo

Presidente do Irão pede unidade e coesão nacional

O Presidente iraniano, Hassan Rohani, apelou esta quarta-feira, em Teerão, à "unidade nacional" face aos "inimigos do Irão", durante uma cerimónia religiosa.

Hassan Rohani, que falava por ocasião do 26.º aniversário da morte do imã Ruhollah Khomeini, fundador da República islâmica, enfrenta críticas dos conservadores que o acusam de se aproximar dos inimigos, nomeadamente dos Estados Unidos da América, por causa das negociações sobre o dossiê nuclear iraniano. (Arquivo)

Hassan Rohani, que falava por ocasião do 26.º aniversário da morte do imã Ruhollah Khomeini, fundador da República islâmica, enfrenta críticas dos conservadores que o acusam de se aproximar dos inimigos, nomeadamente dos Estados Unidos da América, por causa das negociações sobre o dossiê nuclear iraniano. (Arquivo)

© Beawiharta Beawiharta / Reuters

Hassan Rohani, que falava por ocasião do 26.º aniversário da morte do imã Ruhollah Khomeini, fundador da República islâmica, enfrenta críticas dos conservadores que o acusam de se aproximar dos inimigos, nomeadamente dos Estados Unidos da América, por causa das negociações sobre o dossiê nuclear iraniano.

O Irão e o grupo 5+1 (Estados Unidos, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha) negoceiam desde 2013 para limitar as ambições nucleares de Terrão em troca do levantamento das sanções internacionais, impostas ao país em 2006.

As partes têm até 30 de junho para redigir um texto completo e definitivo, mas os negociadores iranianos e norte-americanos estão sujeitos à grande pressão dos milhares de conservadores.

"Precisamos de unidade e coesão", disse o Presidente iraniano, citando Khomeini, que morreu a 4 de junho de 1989.

"Os inimigos querem criar a discórdia entre os grupos étnicos e religiões (...) O primeiro passo é termos o país unido", vincou.

O chefe de Estado iraniano pediu para todos falarem a uma "só voz", apesar das "diferenças de opinião, de partidos diferentes", "para o interesse nacional e para preservar o regime".

"Esta Nação tem resistido durante 36 anos e vai continuar a resistir", disse, prometendo manter as promessas feitas durante a campanha eleitoral.

No discurso, prometeu também resolver o problema para levantar as sanções internacionais, que sufocam a economia do país.
Lusa
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Governo garante que programa de ajuda alimentar será executado em 2017
    2:56

    País

    O Governo não executou o programa europeu que, no ano passado, apoiou 400 mil portugueses e é acusado de ter desperdiçado este ano 28 milhões de euros em ajuda alimentar. O ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Vieira da Silva, garante que o programa será executado em 2017 e que este ano serviu para tomar medidas no sentido dessa implementação.

  • Sol e calor teimam em ficar para o Natal
    1:50

    País

    Com o Natal à porta, o sol teima em ficar um pouco por todo o país. Até a norte as temperaturas estão altas para esta época do ano com o distrito do Porto a rondar os 18 graus.

  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47