sicnot

Perfil

Mundo

Advogado de antigo ditador da Guatemala assassinado a tiro

Homens não identificados mataram quarta-feira o advogado do antigo ditador da Guatemala Efrain Rios Montt, acusado de genocídio durante a guerra a civil no país, disseram as autoridades.

Rios Montt, que governou a Guatemala com mão de ferro nos anos 80, foi condenados em 2013 a 80 anos de prisão por genocídio e crimes de guerra. (Arquivo)

Rios Montt, que governou a Guatemala com mão de ferro nos anos 80, foi condenados em 2013 a 80 anos de prisão por genocídio e crimes de guerra. (Arquivo)

© Jorge Lopez / Reuters

Francisco Palomo estava a conduzir o seu carro quando homens armados dispararam contra si, atingindo-o pelo menos 12 vezes e matando-o em plena luz do dia, numa movimentada zona comercial da Cidade de Guatemala, informou o porta-voz dos bombeiros Raul Hernandez. 

Palomo, de 63 anos, era um ex-magistrado do Tribunal Constitucional e antigo advogado de Rios Montt, o primeiro ditador a ser acusado  por um tribunal não internacional.

Rios Montt, que governou a Guatemala com mão de ferro nos anos 80, foi condenados em 2013 a 80 anos de prisão por genocídio e crimes de guerra.

Mas, o Tribunal Constitucional ordenou um novo julgamento, que deve começar em breve.

Durante a guerra civil, entre 1960 e 1966, mais de 200.000 civis foram mortos ou desapareceram.

Mais de 90 por cento das violações dos direitos humanos ocorreram entre 1978 e 1984.

Os advogados do antigo ditador dizem que Rios Montt não tinha conhecimento dos assassínios.
Lusa
  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18