sicnot

Perfil

Mundo

Atraso no retorno de corpos das vítimas do voo da Germanwings causa protestos

Os familiares dos mortos no avião da Germanwings deliberadamente despenhado contra os Alpes franceses reclamaram junto da companhia mãe, a Lufthansa, do atraso na devolução dos restos mortais das vítimas, indicou hoje o seu advogado. 

© Emmanuel Foudrot / Reuters

Os corpos deveriam ser repatriados nos dias 09 e 10 de junho, mas a Lufthansa contactou as famílias esta semana para anunciar um contratempo, disse Elmar Giemulla, o advogado das vítimas da cidade de Haltern, no noroeste da Alemanha.

"A revolta e desespero estão a aumentar", escreveram, numa carta enviada à Lufthansa, os familiares de 16 adolescentes que estavam entre as 150 pessoas mortas no despenhamento ocorrido a 24 de março.

Os primeiros funerais de estudantes de Haltern, que regressavam de uma viagem de intercâmbio a Espanha quando o copiloto fez o avião despenhar-se, já estavam marcados para 12 de junho.

Contudo, a Lufthansa informou esta semana as famílias de que "novos requisitos administrativos" tinham atrasado temporariamente o repatriamento dos restos mortais das vítimas", referiram as famílias.

Contactada na quinta-feira pela agência de notícias francesa, AFP, a Germanwings confirmou que se verificaram erros na emissão das certidões de óbito, cuja validade tinha expirado e que tiveram de ser novamente emitidas, o que conduziu a "uma interrupção" do processo.

"Estamos a trabalhar afincadamente para encontrar uma solução tão rapidamente quanto possível, no interesse dos familiares", declarou um porta-voz da Germanwings, sem especificar datas.

O presidente da câmara da aldeia de Prads-Haute-Bleone, situada perto do local do acidente, que assinou as certidões de óbito, afirmou que tinha havido ligeiros erros de ortografia "em nomes com sonoridade estrangeira" em seis ou sete dos documentos.

"Todas as certidões foram enviadas há três semanas e, assim que recebermos as correções exigidas pelo ministério público, iremos reemiti-las", explicou.

O procurador do Ministério Público Brice Robin disse à AFP que se reunirá com famílias de vítimas em Paris na próxima quinta-feira para discutir "o repatriamento dos corpos" e "a devolução de objetos pessoais".

Os investigadores só no mês passado acabaram de identificar os restos mortais de todas as 150 pessoas a bordo do voo que fazia a ligação entre Barcelona e Dusseldorf.







Lusa
  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada desde domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.