sicnot

Perfil

Mundo

Atraso no retorno de corpos das vítimas do voo da Germanwings causa protestos

Os familiares dos mortos no avião da Germanwings deliberadamente despenhado contra os Alpes franceses reclamaram junto da companhia mãe, a Lufthansa, do atraso na devolução dos restos mortais das vítimas, indicou hoje o seu advogado. 

© Emmanuel Foudrot / Reuters

Os corpos deveriam ser repatriados nos dias 09 e 10 de junho, mas a Lufthansa contactou as famílias esta semana para anunciar um contratempo, disse Elmar Giemulla, o advogado das vítimas da cidade de Haltern, no noroeste da Alemanha.

"A revolta e desespero estão a aumentar", escreveram, numa carta enviada à Lufthansa, os familiares de 16 adolescentes que estavam entre as 150 pessoas mortas no despenhamento ocorrido a 24 de março.

Os primeiros funerais de estudantes de Haltern, que regressavam de uma viagem de intercâmbio a Espanha quando o copiloto fez o avião despenhar-se, já estavam marcados para 12 de junho.

Contudo, a Lufthansa informou esta semana as famílias de que "novos requisitos administrativos" tinham atrasado temporariamente o repatriamento dos restos mortais das vítimas", referiram as famílias.

Contactada na quinta-feira pela agência de notícias francesa, AFP, a Germanwings confirmou que se verificaram erros na emissão das certidões de óbito, cuja validade tinha expirado e que tiveram de ser novamente emitidas, o que conduziu a "uma interrupção" do processo.

"Estamos a trabalhar afincadamente para encontrar uma solução tão rapidamente quanto possível, no interesse dos familiares", declarou um porta-voz da Germanwings, sem especificar datas.

O presidente da câmara da aldeia de Prads-Haute-Bleone, situada perto do local do acidente, que assinou as certidões de óbito, afirmou que tinha havido ligeiros erros de ortografia "em nomes com sonoridade estrangeira" em seis ou sete dos documentos.

"Todas as certidões foram enviadas há três semanas e, assim que recebermos as correções exigidas pelo ministério público, iremos reemiti-las", explicou.

O procurador do Ministério Público Brice Robin disse à AFP que se reunirá com famílias de vítimas em Paris na próxima quinta-feira para discutir "o repatriamento dos corpos" e "a devolução de objetos pessoais".

Os investigadores só no mês passado acabaram de identificar os restos mortais de todas as 150 pessoas a bordo do voo que fazia a ligação entre Barcelona e Dusseldorf.







Lusa
  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.