sicnot

Perfil

Mundo

Casa Branca pede ao Congresso novas leis sobre segurança cibernética

A Casa Branca pediu hoje ao Congresso para adotar novas leis sobre segurança cibernética, dando como exemplo o recente ataque informático durante o qual foram roubados dados relativos a milhões de funcionários públicos.

© Dado Ruvic / Reuters

"O facto é que precisamos que o Congresso dos Estados Unidos deixe a 'idade da pedra', entre no século XXI e tenha as defesas necessárias para proteger os sistemas informáticos modernos", afirmou o porta-voz do Presidente norte-americano, Josh Earnest.

A vice-presidente do Comité de Inteligência do Senado, a democrata Dianne Feinstein, também afirmou hoje que o "Congresso deve agir" para garantir que as informações sobre as vulnerabilidades informáticas sejam rapidamente transmitidas para melhorar a cooperação entre Governo e empresas privadas.

"Esta ameaça não pode ser levada com ânimo leve", sublinhou.

"Milhões de dólares, os dados privados de todos os cidadãos dos EUA, infraestruturas, tais como as nossas redes de energia, centrais nucleares e água potável, estão em perigo", disse.

O Governo dos Estados Unidos confirmou, na quinta-feira, que piratas informáticos podem ter tido acesso a informação pessoal de quatro milhões de funcionários públicos norte-americanos, no maior ataque informático contra o Estado federal.








Lusa
  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras