sicnot

Perfil

Mundo

Explosão provoca dois mortos e mais de 100 feridos em comício na Turquia

Duas pessoas foram hoje mortas em Diyarbakir, sudeste da Turquia, após duas explosões registadas durante um comício do principal partido pró-curdo e a dois dias das eleições legislativas, anunciou um ministro turco.  

© XXSTRINGERXX xxxxx / Reuters

De acordo com o ministro da Agricultura, Medhi Eder, citado pela agência noticiosa oficial Anatolia, mais de 100 pessoas também ficaram feridas pelas deflagrações que ocorreram durante a tarde (cerca das 15:00 em Lisboa) numa praça da "capital" do Curdistão curdo num comício do Partido Democrático dos Povos (HDP) e quando o presidente do partido, Selahattin Demirtas, se preparava para discursar perante milhares de pessoas.

As explosões terão ocorrido com três minutos de diferença e segundo os testemunhos alguns dos feridos sangravam abundantemente, alguns em risco de perderem os seus membros. 

A campanha eleitoral para as legislativas de 07 de junho na Turquia ficou assinalada por numerosos incidentes violentos dirigidos sobretudo contra o HDP.  

Na quarta-feira, o motorista de um veículo com as cores do partido foi morto em Bingol (leste) por disparos de origem desconhecida. No mês passado, duas explosões contra as sedes do partido na cidade de Adana e Mersin provocaram vários feridos, enquanto na quinta-feira centenas de nacionalistas irromperam num comício do partido em Erzurum (leste), com um balanço de vários feridos durante os confrontos. 

Os resultados do HDP no escrutínio de domingo estão a concentrar todas as atenções.

Caso consiga ultrapassar a barreira dos 10% dos votos e entrar no parlamento, poderá privar o AKP, o partido islamita-conservador do Presidente Recep Tayyip Erdogan, dos 330 deputados de que necessita para promover uma revisão constitucional e reforçar os poderes presidenciais.

Após assumir a liderança do HDP, Selahattin Demirtas -- que se candidatou às presidenciais de agosto de 2014 obtendo 9,76% dos votos --, optou por tornar o partido não apenas um porta-voz da importante minoria curda da Turquia mas ainda um defensor dos direitos de outras minorias, culturais e sexuais, e adotou um discurso social próximo do partido Syriza na vizinha Grécia, com quem mantém contactos regulares.








Lusa
  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.