sicnot

Perfil

Mundo

Mais de mil combatentes do grupo Estado Islâmico mortos por mês

Os bombardeamentos feitos pela coligação internacional, liderada pelos Estados Unidos, contra o grupo extremista Estado Islâmico permitiu matar "mais de mil" combatentes por mês, disse hoje um dos generais norte-americanos que dirigem a operação.

© Stringer Shanghai / Reuters

Os raides aéreos "tiveram um efeito profundo sobre o inimigo" e "retiraram do campo de combate mais de mil combatentes inimigos por mês", afirmou o general John Hesterman, chefe da componente aérea do comando militar do Médio Oriente.

A administração de Barack Obama tem sido criticada sobre a eficácia da campanha de bombardeamentos.

O general confirmou que em cerca de 75% das missões os aviões regressaram sem terem lançado bombas, mas acrescentou que não se pode comparar este tipo de ataques com os conflitos com um exército de um Estado.

"Quando o alvo é um exército regular é relativamente fácil, mas é muito difícil atingir os combatentes do grupo Estado Islâmico, porque estão imersos na população civil", explicou o general.

A coligação internacional tem também de ter o cuidado de distinguir entre os combatentes do Estado Islâmico e as forças iraquianas e evitar matar civis. 

"Nunca foi tão difícil distinguir entre amigos e inimigos do Iraque como hoje. É impossível distingui-los quando se vestem da mesma maneira e com o mesmo equipamento", salientou o general. 

Desde agosto de 2014, a coligação realizou 15.675 missões aéreas, 4.423 das quais resultaram num ataque, segundo números oficiais.

Os ataques aéreos não impediram os militantes do grupo Estado Islâmico de controlar a cidade iraquiana de Ramadi, levantando dúvidas sobre a eficácia da estratégia seguida pela administração de Obama.




Lusa
  • Marcelo e Costa unidos contra contagem do tempo integral de serviço
    2:45

    País

    Em menos de 24 horas, o Presidente da República e o primeiro-ministro deram publicamente sinais de que estão unidos contra a contagem de todo o tempo de serviço de professores e outros agentes do Estado para efeitos salariais. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que essa possibilidade é uma ilusão e que o país não tem condições para voltar aos níveis anteriores à crise.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Político indiano oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.