sicnot

Perfil

Mundo

Mais de mil combatentes do grupo Estado Islâmico mortos por mês

Os bombardeamentos feitos pela coligação internacional, liderada pelos Estados Unidos, contra o grupo extremista Estado Islâmico permitiu matar "mais de mil" combatentes por mês, disse hoje um dos generais norte-americanos que dirigem a operação.

© Stringer Shanghai / Reuters

Os raides aéreos "tiveram um efeito profundo sobre o inimigo" e "retiraram do campo de combate mais de mil combatentes inimigos por mês", afirmou o general John Hesterman, chefe da componente aérea do comando militar do Médio Oriente.

A administração de Barack Obama tem sido criticada sobre a eficácia da campanha de bombardeamentos.

O general confirmou que em cerca de 75% das missões os aviões regressaram sem terem lançado bombas, mas acrescentou que não se pode comparar este tipo de ataques com os conflitos com um exército de um Estado.

"Quando o alvo é um exército regular é relativamente fácil, mas é muito difícil atingir os combatentes do grupo Estado Islâmico, porque estão imersos na população civil", explicou o general.

A coligação internacional tem também de ter o cuidado de distinguir entre os combatentes do Estado Islâmico e as forças iraquianas e evitar matar civis. 

"Nunca foi tão difícil distinguir entre amigos e inimigos do Iraque como hoje. É impossível distingui-los quando se vestem da mesma maneira e com o mesmo equipamento", salientou o general. 

Desde agosto de 2014, a coligação realizou 15.675 missões aéreas, 4.423 das quais resultaram num ataque, segundo números oficiais.

Os ataques aéreos não impediram os militantes do grupo Estado Islâmico de controlar a cidade iraquiana de Ramadi, levantando dúvidas sobre a eficácia da estratégia seguida pela administração de Obama.




Lusa
  • Grupo armado mata 26 cristãos no Egipto
    1:03
  • O "chega p'ra lá" de Trump
    2:35
  • Oliveira Costa "era incompetente para todos os lugares em que eu o vi"
    3:12
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    O caso BPN esteve em destaque no programa Quadratura do Circulo desta quinta-feira. Pacheco Pereira relembrou que os maiores prejuízos são posteriores à nacionalização e responsabiliza José Sócrates. O Jorge Coelho disse que se fez justiça e que é uma prova que o Estado de direito português está a funcionar. Lobo Xavier garantiu também que Oliveira Costa era incompetente por natureza.

  • A promessa e a peregrinação do Presidente no Luxemburgo
    2:28

    País

    O Presidente da República promete voltar ao Luxemburgo até ao final do ano, se houver mais 10 mil portugueses recenseados até julho. Marcelo Rebelo de Sousa participou esta quinta-feira na peregrinação em honra de Nossa Senhora de Fátima, que todos os anos recebe milhares de emigrantes portugueses.

    Enviados SIC

  • Álcool é "de longe" a droga mais consumida pelos portugueses

    País

    O álcool é, "de longe", a substância mais consumida pelos portugueses que responderam ao maior inquérito `online` sobre consumo de drogas, com mais de 14% dos homens a descreveram padrões considerados problemáticos, segundo os resultados hoje divulgados.