sicnot

Perfil

Mundo

Obama vai pedir ao G7 para manter sanções à Rússia

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, vai estar no domingo na cimeira do G7, na Alemanha, com o objetivo de pressionar os seus parceiros europeus para que mantenham as sanções à Rússia, devido à crise ucraniana.

© Jonathan Ernst / Reuters

Obama, que vai partir esta tarde de Washington para a cimeira com os líderes da Alemanha, França, Reino Unido, Itália, Japão e Canadá, quer também debater a campanha de bombardeamentos contra o grupo Estado Islâmico (EI), o estado das negociações nucleares com o Irão e, inevitavelmente, a crise da Grécia.

Esta será a segunda cimeira do G7 sem a Rússia, e Barack Obama quer que o grupo dos países mais ricos fale "a uma só voz" mediante a manutenção das sanções ao país pela sua "agressão" à Ucrânia, segundo explicou esta semana o assessor-adjunto da Segurança da Casa Branca, Ben Rhodes, numa conferência telefónica com jornalistas.

Segundo Ben Rhodes, citado pela Efe, Obama insistirá na "importância de manter as sanções à Rússia para incentivar a plena aplicação" dos acordos de paz de Minsk e pôr fim ao conflito com a Ucrânia, assim como para dissuadir Moscovo de "novas agressões".

Além disso, "é importante que a Rússia entenda" que haverá "consequências adicionais", caso haja "mais agressões", sublinhou o assessor, para o qual há que "dar tempo" a que as sanções possam motivar uma mudança de atitude do presidente russo, Vladimir Putin.

"O mesmo aconteceu com o Irão"", citou Rhodes como exemplo, ao recordar que o regime de Teerão demorou "anos a sentar-se na mesa de negociações" sobre o seu programa nuclear e tal só foi possível pelas sanções impostas ao país.

À parte da cimeira, Obama irá ter um encontro bilateral com o primeiro-ministro iraquiano, Haider Al Abadi, numa altura em que sofre críticas sobre a sua estratégia contra o grupo EI depois das derrotas nas cidades como Ramadi ou na síria Palmira.

Ben Rhodes, não obstante, esclareceu que não espera anúncios de alteração da estratégia e que os Estados Unidos "estão a rever" o tipo de assistência que está a dar ao Iraque para combater os 'jihadistas'.

Na sua chegada à Alemanha, Barack Obama vai reunir-se com a chanceler alemã, Angela Merkel, e ambos manterão um encontro com cidadãos na localidade bávara de Krün, perto do castelo onde se realizará a cimeira do G7.

Obama prevê também reunir-se com o primeiro-ministro britânico, David Cameron, para o felicitar pela sua recente reeleição e rever a "estreita" cooperação bilateral, numa ampla gama de assuntos globais, de acordo com a Casa Blanca. 


Lusa