sicnot

Perfil

Mundo

G7 defende "diminuição importante" de emissões de gases com efeito de estufa

Os países do G7 defendem uma "diminuição importante" das emissões mundiais de gases com efeito de estufa e uma descarbonização da economia durante este século, segundo o comunicado final de uma cimeira na Baviera (sul da Alemanha).

© POOL New / Reuters

Pronunciaram-se assim a favor de um objetivo mundial de redução das emissões de 40% a 70% até 2050 em relação a 2010, "no quadro de uma resposta mundial" e comprometeram-se a fazer a sua parte para "alcançar a longo termo uma economia mundial parca em carbono".

O presidente francês, François Hollande, congratulou-se com os "compromissos ambiciosos e realistas", que, segundo a chanceler alemã, Angela Merkel, são "o resultado de negociações difíceis".

Os países europeus do G7 (Alemanha, França, Itália e Reino Unido) estavam de acordo com o estabelecimento de um objetivo ambicioso para enviar um sinal à conferência de Paris, em dezembro, na qual a comunidade internacional deve estabelecer um roteiro para limitar o aquecimento global a dois graus em relação à era pré-industrial. O Japão e o Canadá, cuja matriz energética depende muito do carvão, estavam mais reticentes.

No final, os progressos realizados em Elmau permitem esperar "um acordo sólido" em Paris no final do ano, congratulou-se o presidente norte-americano, Barack Obama, que lembrou a necessidade de agir rapidamente e com determinação para limitar a subida do termómetro mundial a dois graus.

As primeiras reações das organizações não-governamentais foram positivas, com a Greenpeace a considerar que Elmau tinha "mantido as suas promessas".

O grupo dos sete países mais industrializados representa cerca de 10 por cento da população mundial e um quarto das emissões globais. 

Na cimeira do G7 não participaram a China, o maior poluidor mundial, nem outras grandes economias emergentes como a Índia, a Rússia e o Brasil.








Lusa
  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.