sicnot

Perfil

Mundo

Turcos saúdam fim da maioria do partido de Erdogan

Turcos saúdam fim da maioria do partido de Erdogan

Os resultados das legislativas na Turquia tiveram um efeito imediato na bolsa de Istambul e na moeda turca. O partido islamita AKP do Presidente turco venceu as eleições legislativas, mas não conseguiu a maioria. Os resultados dão apenas 41% dos votos ao partido de Recep Tayyip Erdogan. O mercado bolsista caiu mais de 6% e a libra turca atingiu um mínimo histórico face ao euro e ao dólar. O banco central turco foi obrigado a descer as taxas de juro para os depósitos em moeda estrangeira para travar a descida da libra turca. Para muitos turcos, a perda da maioria do partido de Erdogan é o fim de uma era.

  • Partido de Erdogan vence legislativas com 41% dos votos
    2:28

    Mundo

    O partido islamita AKP do Presidente turco venceu as eleições legislativas, mas não conseguiu a maioria. Os resultados dão apenas 41% dos votos ao partido de Recep Tayyip Erdogan. A grande surpresa da noite foi o partido pró-curdo que consegue 80 deputados no parlamento.

  • Partido pró-curdo consegue 13% dos votos nas legislativas turcas
    1:49

    Mundo

    Uma crise política está instalada na Turquia. O partido do Presidente turco Erdogan é o grande derrotado da noite. Venceu as eleições legislativas deste domingo mas não conseguiu maioria. Dos resultados, destaque para o partido pró-curdo que obteve 13% dos votos e tem agora assento no Parlamento da Turquia. O relato é do correspondente da SIC, José Pedro Tavares.

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Fitch retira Portugal do "lixo"
    2:20
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".