sicnot

Perfil

Mundo

Caso do brasileiro abatido pela polícia em Londres em 2005 começou a ser julgado

O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem começou hoje a analisar o caso do brasileiro abatido pela polícia no metro de Londres em 2005. Jean Charles de Menezes foi atingido com sete tiros quando entrava no metro. 

A polícia confundiu-o com um terrorista que, na véspera, tinha tentado atacar a rede de transportes londrina. A morte do brasileiro, de 27 anos, aconteceu duas semanas depois dos atentados de 7 de julho, no metro de Londres, que fizeram 52 mortos.

Na altura, a Scotland Yard admitiu o erro, argumentando que as autoridades estavam em alerta máximo e sob forte pressão. Mas nenhum polícia foi indiciado individualmente. 

A família  levou o caso a Estrasburgo e exige que o caso volte a ser investigado.
  • Adeptos do Sporting gritaram "Joguem à bola"

    Desporto

    Depois da eliminação da Taça de Portugal, o autocarro do Sporting deixou o Estádio Municipal de Chaves em clima de grante tensão. Vários adeptos leoninos protestaram contra a equipa e pediram explicações.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Temperaturas negativas em várias zonas do país nos próximos dias
    1:57

    País

    O frio vai começar a fazer-se sentir nos próximos dias com as temperaturas a descerem para valores negativos em várias zonas do país. Em Lisboa, cinco estações de metro vão estar abertas durante a noite para albergar os sem-abrigo que também vão receber agasalhos e refeições quentes.

  • Medalha idêntica à de Anne Frank encontrada em campo nazi

    Mundo

    Um grupo de investigadores encontrou uma medalha praticamente igual à de Anne Frank, nas escavações ao campo nazi de extermínio Sobibor, na Polónia. Os especialistas do Memorial do Holocausto Yad Vashem em Israel acreditam que a medalha pertencia a Karoline Cohn, que pode ter conhecido Anne Frank.