sicnot

Perfil

Mundo

Ataques do grupo extremista Boko Haram no nordeste da Nigéria fazem 43 mortos

Pelo menos 43 pessoas foram mortas na terça-feira em ataques do grupo extremista Boko Haram contra três aldeias do nordeste da Nigéria, informaram hoje habitantes em fuga citados pela agência France Presse.

© Akintunde Akinleye / Reuters

Dezenas de rebeldes 'jihadistas' que se faziam transportar em motos atacaram as aldeias de Matangale, Buraltima e Dirmant, no estado de Borno, abrindo fogo contra os moradores e saqueando e incendiando casas, disseram as testemunhas.

Matangale foi a aldeia mais atingida devido aos agressores terem aberto fogo contra um poço à saída da vila onde os moradores se juntam para ir buscar água potável e para lavarem a roupa.  

"O número de vítimas poderia ter sido muito mais elevado, não fosse o caso de alguns moradores estarem ausentes devido ao mercado semanal a cerca de 40 quilómetros de distância", disse Bulama Karuye, um dos moradores que fugiu. 

Centenas de moradores das aldeias atacadas fugiram para Damboa, uma cidade nas proximidades, para procurarem refúgio numa escola primária, disseram ainda os habitantes fugidos.

Ainda segundo os testemunhos, os atacantes vieram da floresta de Sambisa, um importante reduto dos 'jihadistas' do Boko Haram, de onde centenas de mulheres e crianças sequestradas foram resgatadas recentemente durante operações do exército nigeriano.

   Mais de 150 pessoas já foram mortas pelo Boko Haram desde que, em 29 de maio, o novo Presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, assumiu o poder e prometeu acabar com os rebeldes e pôr fim à revolta sangrenta que já soma seis anos.






Lusa
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15