sicnot

Perfil

Mundo

China quer impor censura ao jornalismo digital

 As autoridades chinesas responsáveis pela imprensa, que gerem a censura, anunciaram um projeto de lei que vai proibir que as páginas na Internet e portais informativos produzam notícias próprias, além de impor a censura prévia a estes conteúdos.

© Jason Lee / Reuters

Segundo o projeto, difundido num comunicado da Administração Estatal de Imprensa, Publicações, Rádio, Cinema e Televisão, os serviços informativos na Internet deverão contratar "supervisores profissionais", encarregados de rever o conteúdo das notícias, antes que sejam publicadas.

Além disso, só se pode emitir informação audiovisual procedente de rádios e televisões já estabelecidas que tenha, no mínimo, um caráter municipal, destacou a circular.

As violações a estas novas regulações podem resultar em penas até aos 30.000 yuan (4.303 euros), indica a administração estatal, que também ordena que todos os programas emitidos sejam arquivados durante pelo menos dois meses após a emissão.

A iniciativa legal foi publicada para recolher reações da opinião pública até finais de junho.
  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão