sicnot

Perfil

Mundo

Piratas informáticos acedem a dados confidenciais e secretos dos EUA

Os piratas informáticos chineses que conseguiram aceder a ficheiros de milhões de funcionários públicos norte-americanos, também conseguiram informação sobre as pessoas autorizadas a aceder a dados confidenciais ou secretos, noticia hoje o Washington Post.

© Mal Langsdon / Reuters

Os piratas informáticos conseguiram entrar na base de dados que tem os arquivos de solicitação de autorizações de funcionários ou de contratos com várias décadas, segundo o jornal.

"Isto é uma potencial catástrofe em termos de contraespionagem", afirmou Joel Brenner, um antigo alto responsável norte-americano pela contraespionagem, citado no jornal.

Para Joel Brenner, as informações pessoais contidas naqueles aplicativos podem ser usadas para chantagear as pessoas autorizadas a aceder a dados confidenciais, como também aquelas passam a ser alvos fáceis para serem recrutadas para espiar para outro país.

A base de dados contém detalhes sobre as finanças ou família das pessoas, vizinhos e contactos no estrangeiro.

Informação sobre o pessoal da CIA também pode ter sido comprometida.

O Governo dos Estados Unidos reconheceu a semana passada que os dados de quatro milhões de funcionários públicos tinham sido roubados por piratas informáticos, mas absteve-se de acusar publicamente a China.

Na quinta-feira, os sindicatos afirmaram que todos os registos de funcionários tinha sido violados por piratas informáticos.

Lusa
  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.