sicnot

Perfil

Mundo

Piratas informáticos acedem a dados confidenciais e secretos dos EUA

Os piratas informáticos chineses que conseguiram aceder a ficheiros de milhões de funcionários públicos norte-americanos, também conseguiram informação sobre as pessoas autorizadas a aceder a dados confidenciais ou secretos, noticia hoje o Washington Post.

© Mal Langsdon / Reuters

Os piratas informáticos conseguiram entrar na base de dados que tem os arquivos de solicitação de autorizações de funcionários ou de contratos com várias décadas, segundo o jornal.

"Isto é uma potencial catástrofe em termos de contraespionagem", afirmou Joel Brenner, um antigo alto responsável norte-americano pela contraespionagem, citado no jornal.

Para Joel Brenner, as informações pessoais contidas naqueles aplicativos podem ser usadas para chantagear as pessoas autorizadas a aceder a dados confidenciais, como também aquelas passam a ser alvos fáceis para serem recrutadas para espiar para outro país.

A base de dados contém detalhes sobre as finanças ou família das pessoas, vizinhos e contactos no estrangeiro.

Informação sobre o pessoal da CIA também pode ter sido comprometida.

O Governo dos Estados Unidos reconheceu a semana passada que os dados de quatro milhões de funcionários públicos tinham sido roubados por piratas informáticos, mas absteve-se de acusar publicamente a China.

Na quinta-feira, os sindicatos afirmaram que todos os registos de funcionários tinha sido violados por piratas informáticos.

Lusa
  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.