sicnot

Perfil

Mundo

Quatrocentos milhões de pessoas não têm acesso aos mais elementares serviços de saúde

Perto de 400 milhões de pessoas no mundo não têm acesso aos mais elementares serviços de saúde, segundo um relatório do Banco Mundial e da Organização Mundial da Saúde (OMS), publicado hoje. 

© Mike Blake / Reuters

Segundo um novo relatório intitulado "Seguir a cobertura de saúde universal", com dados de 2013, pelo menos 400 milhões de pessoas no mundo são privados do acesso aos serviços de saúde mais elementares, como os cuidados pré-natais, a vacinação infantil, o tratamento da tuberculose ou mesmo o acesso a água potável e serviços sanitários.

"Este relatório é um sinal de alarme: ele mostra que estamos longe de atingir a universalidade dos serviços de saúde", afirmou Tim Evans, diretor do departamento Saúde e População do Banco Mundial, em comunicado.

O mesmo responsável defendeu que deve ser "estendido o acesso aos serviços e proteger os mais pobres das despesas de saúde que lhes causam graves dificuldades financeiras".

O relatório, o primeiro a envolver os serviços de saúde em 37 países, segundo o Banco Mundial, mostra igualmente que seis por cento dos habitantes nos países analisados vivem numa extrema pobreza e não dispõem de mais do que 1,25 dólares por dia para viverem.

A OMS e o Banco Mundial recomendam que os países prossigam o objetivo de uma cobertura de saúde universal pelo menos para 80 por cento da sua população.

Lusa
  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • Abate de animais nos canis proibido a partir de setembro
    1:35

    País

    O abate de animais nos canis passa a ser proibido a partir de setembro. Só em 2017, foram mortos cerca de 12 mil cães e gatos, uma média de um abate por hora. O Governo lançou um programa de incentivos financeiros de um milhão de euros, que ainda está a decorrer.

  • Cabazes solidários oferecidos pelo Governo encontrados no lixo
    0:57
  • Colheita da cereja já arrancou no Fundão
    1:54

    País

    A colheita das primeiras cerejas da época já começou no Fundão. A campanha atrasou um mês em relação a anos anteriores, por causa do inverno que se prolongou, mas os produtores garantem que o fruto é de qualidade.