sicnot

Perfil

Mundo

Milhares de sírios em fuga a combates de Tall Abyad entram na Turquia

Milhares de sírios em fuga aos combates entre curdos e o grupo extremista Estado Islâmico pelo controlo da cidade de Tall Abyad entraram hoje na Turquia, que reabriu a fronteira, encerrada há dias, a estes refugiados.

© Stringer Turkey / Reuters

Ao início da noite, uma longa fila de refugiados, muitos com os poucos bens pessoais transportados em sacos de plástico, começou a atravessar ordeiramente o posto fronteiriço de Akçakale, enquanto milhares de outros esperavam do outro lado da fronteira, constatou um fotojornalista da agência de notícias francesa AFP.

Estes sírios abandonaram as suas casas na esperança de conseguirem chegar à Turquia, mas o exército turco tinha-os, até agora, impedido de entrar no país, utilizando mesmo canhões de água para os manter à distância, segundo o repórter fotográfico.

Depois de terem passado a noite encurralados entre os combates e o arame farpado, muitos deles pediam água, tendo as temperaturas ultrapassado os 35 graus Celsius durante o dia, e funcionários da ajuda humanitária turcos lançavam garrafas de água para a multidão, de onde se levantavam dezenas de mãos para as apanhar.

Após submetidos a um controlo sanitário e registados pelas autoridades turcas, aqueles com pais na Turquia foram autorizados a ficar com eles, ao passo que os restantes serão mais tarde levados para campos de refugiados já existentes, sublinhou a agência de imprensa Dogan.

A televisão turca estimou em 3.000 o número total de pessoas que deverão assim entrar na Turquia, mas o correspondente da AFP considerou que são muitos mais.

As autoridades turcas tinham anunciado na quarta-feira que iam encerrar localmente a fronteira, "exceto em caso de tragédia humanitária".

Os responsáveis de Akçakale anunciaram hoje, há já algumas horas, que tinha sido finalmente dada autorização para deixar entrar na Turquia os sírios concentrados nas imediações do local.

As forças curdas chegaram hoje à entrada de Tall Abyad e aí estão a combater as forças da organização Estado Islâmico, indicou um comandante curdo no terreno.

"Chegámos a 50 metros da entrada leste da cidade e estamos a combater o EI numa barreira", disse Hussein Khojer, um comandante das Unidades de Proteção do Povo Curdo (UPK) em Tall Abyad.

Os curdos querem retomar o controlo desta cidade de população árabe e curda para privar o EI de um importante ponto de entrada de armas e de combatentes 'jihadistas'.

Antes de a fronteira da região ter sido encerrada, na semana passada, a Turquia já acolhera mais de 13.500 sírios fugidos aos combates pelo controlo de Tall Abyad, afirmaram responsáveis turcos.

Desde que o conflito sírio eclodiu, em 2011, a Turquia aceitou no seu território 1,8 milhões de refugiados procedentes da Síria.

Lusa
  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • 245 saltam de ponte de 30m no Brasil para Recorde do Guiness
    1:56
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.