sicnot

Perfil

Mundo

Paquistão interrompe pena de morte mas só no mês do Ramadão

O Paquistão vai aplicar uma moratória de um mês sobre a aplicação da pena de morte, correspondente ao mês do Ramadão, anunciaram hoje as autoridades locais.

Altaf Qadri

"Segundo a tradição ninguém é executado durante o mês do jejum (muçulmano) do Ramadão, e as autoridades decidiram que essa tradição será respeitada este ano", afirmou Nusrat Mangan, inspetor-geral das prisões da província de Sindh (sul).

Um responsável do ministério do Interior confirmou ter sido notificado para parar as execuções durante o mês do Ramadão, que começa esta semana.

No entanto o inspetor-geral das prisões do Punjab, província mais populosa do Paquistão, disse que não recebeu qualquer notificação nesse sentido.

"De todas as maneiras temos de executar cerca de duas dezenas de condenados antes do mês do Ramadão", disse Nazeer Farooq à AFP.

A Comissão dos Direitos Humanos do Paquistão, um organismo independente, disse que o Paquistão enforcou mais de 150 condenados desde o início das execuções, em dezembro, depois de um massacre numa escola da autoria de talibans.

Uma moratória sobre a pena de morte estava em vigor no país desde 2008.

A Amnistia Internacional estima que há no Paquistão mais de 8.000 condenados à morte e à espera de serem executados, com a maior parte a já ter esgotado todos os recursos legais.

Lusa
  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.