sicnot

Perfil

Mundo

Três guardas mortos na Tunísia em ataque de militantes islâmicos

Três guardas da polícia nacional da Tunísia foram mortos esta segunda-feira, num posto de controlo no centro de país, na sequência de um ataque de militantes islâmicos.

O Ministério do Interior adiantou que dois dos seguranças morreram num ataque ao amanhecer e um terceiro na sequência de confrontos que se geraram com militantes islâmicos, numa passagem de Sidi Bouzid.

O Ministério do Interior adiantou que dois dos seguranças morreram num ataque ao amanhecer e um terceiro na sequência de confrontos que se geraram com militantes islâmicos, numa passagem de Sidi Bouzid.

© Stringer Shanghai / Reuters

O Ministério do Interior adiantou que dois dos seguranças morreram num ataque ao amanhecer e um terceiro na sequência de confrontos que se geraram com militantes islâmicos, numa passagem de Sidi Bouzid.
 
Um dos dois homens armados foi abatido, tendo o outro ficado ferido.

A autoria do ato terrorista não foi, até ao momento, reivindicada por nenhum grupo em concreto, mas as autoridades apontam o dedo a jihadistas do género dos que em março atacaram o museu nacional do Bardo, na capital, Tunes.

Desde então, as forças de segurança lançaram uma campanha contra as brigadas radicais com influência no país, em particular junto à fronteira com a Argélia.
  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.