sicnot

Perfil

Mundo

Zoo australiano divulga imagens do primeiro koala da estação

Zoo australiano divulga imagens do primeiro koala da estação

Um jardim zoológico em Sydney, na Austrália, deu as boas-vindas ao primeiro koala da estação. O animal tem seis meses de vida mas só agora o zoo de Taronga divulgou o vídeo em que o bebé se mostra pela primeira vez. Os tratadores dizem que o novo bebé vai passar cerca de quatro meses junto da mãe, até poder andar sozinho. O koala ainda não tem nome e é a terceira cria da mãe Wanda. O zoo espera ainda o nascimento de outros três koalas nas próximas semanas.

  • Coala visita urgências de hospital australiano durante a madrugada
    0:49

    Mundo

    Quem trabalha num serviço de urgências, está habituado a ver as mais diferentes situações entrar pela porta do hospital. O que não é comum é ter um visitante animal a altas horas da madrugada. Aconteceu na Austrália e, por isso, não espanta ter sido um coala. O que é admirável é o à vontade com que o animal entra pela porta automática e passa pela sala de espera do hospital de Melbourne, como se estivesse ambientado ao espaço. Os funcionários contaram que agiu com determinação. Eram 03:27 e o registo das câmaras de videovigilância tornou-se viral na internet. O curioso coala - que ganhou a alcunha de Blinky Bill - saiu depois, também com a maior das naturalidades. O coala é uma espécie protegida na Austrália, que defende que seja em habitat selvagem que continue a viver.

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Governo quer reduzir gastos com papel na função pública
    1:08

    Economia

    O Governo proibiu a livre utilização das impressoras pelos funcionários públicos. O ministro das Finanças quer assim reduzir em 20% a despesa em consumo de papel e, ao mesmo tempo, minimizar a perigosidades dos resíduos produzidos com as impressoras, no Estado.