sicnot

Perfil

Mundo

Alemanha regista primeira morte por infeção com o novo coronavírus

Um cidadão alemão de 65 anos morreu a 6 de junho no Hospital de Ostercappeln, a oeste da Alemanha, com queixas de problemas pulmonares resultantes de uma infeção que, sabe-se agora, foi originada pelo novo coronavírus.  As autoridades alemãs confirmaram que indivíduo foi vítima da Síndrome Respiratória do Médio Oriente, que terá contraído numa viagem realizada à Península Arábica, em fevereiro.  

Imagem do novo coronavírus responsável pelo recente surto da Síndrome Respiratória do Médio Oriente

Imagem do novo coronavírus responsável pelo recente surto da Síndrome Respiratória do Médio Oriente

© Handout . / Reuters

A Coreia do Sul, país mais afetado pela doença, deu hoje conta de três novas mortes devido à Síndrome Respiratória do Médio Oriente, elevando para 19 o número de mortos, num surto que já contagiou pelo menos 154 pessoas. 

O Governo sul-coreano considera que o vírus não se propagou entre a população em geral, já que o contágio está quase exclusivamente limitado aos hospitais (há 55 afetados em todo o país), e estima que o surto pode estar controlado no final do mês. 

Até ao momento, 17 pessoas recuperaram da doença, que foi pela primeira vez detetada a 20 de maio, informou o Ministério sul-coreano.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.