sicnot

Perfil

Mundo

Comerciantes luso-descendentes receiam abrir portas devido à insegurança na Venezuela

Habituada a lidar frequentemente com a criminalidade, a comunidade portuguesa radicada em Higuerote, sobretudo os comerciantes, estão cada vez mais preocupados com a insegurança, temendo abrir os estabelecimentos comerciais em horas e dias de pouca afluência. 

© Jorge Lopez / Reuters

Higuerote é uma pequena população costeira do Estado venezuelano de Miranda, localizada 110 quilómetros a leste de Caracas, e muito procurada durante a época balnear e aos fins de semana.

"Isto está cada vez mais perigoso. Durante a semana, como há pouco movimento, alguns comerciantes abrem tarde e fecham cedo, e às vezes nem abrem, porque já assaltaram praticamente quase todos os estabelecimentos", disse um comerciante à agência Lusa.

 Francisco Freitas explicou que ele próprio, há algumas semanas, foi intercetado por vários desconhecidos, quando regressava a casa. Obrigaram-no a entrar noutra viatura e exigiram dinheiro para o deixarem ir em liberdade.

"Foram várias horas de angústia, mas tudo terminou em bem", explicou, recusando-se a avançar com mais pormenores.

Segundo vários comerciantes, os estabelecimentos comerciais de venda de bebidas alcoólicas e de roupa de praia estão a reduzir o horário de funcionamento devido à baixa afluência de clientes, mas sobretudo por recearem assaltos, optando por prolongar o horário aos fins de semana.

A insegurança é apontada pelos analistas e pelos próprios cidadãos como uma das principais preocupações dos venezuelanos, afetando tanto cidadãos nacionais como estrangeiros radicados no país.

Os assaltos e os sequestros são, dentro da insegurança, as questões que mais preocupam os comerciantes, principalmente porque colocam em risco a integridade física das vítimas.

Fontes não oficiais dão conta que pelo menos uma dezena de portugueses foram sequestrados desde o início do ano na Venezuela.

A maioria dos casos de sequestro não são denunciados às autoridades e os familiares tentam ocultar essas situações da imprensa, por temerem represálias.

Dados divulgados recentemente pela organização não-governamental Observatório Venezuelano de Violência, apontam para uma média anual de 20 mil homicídios.






Lusa
  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Milhares protestam na Catalunha contra Madrid
    1:45

    Mundo

    O Governo de Madrid mostrou-se disposto a dar mais dinheiro e autonomia financeira à Catalunha, se o Governo Regional suspender o referendo independentista. A 10 dias da consulta popular, a tensão é explosiva, com protestos nas ruas, detenções e confrontos com as autoridades.

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • Complexo Agroindustrial do Cachão abandonado e exposto à poluição
    2:03
  • Família Portugal Ramos
    15:01

    As Famílias Vintage regressaram esta quinta-feira, com uma viagem ao Alentejo. Foi a partir desta região que João Portugal Ramos conquistou um lugar entre os grandes do setor. Desde há 25 anos a vindimar em seu nome, o enólogo produz seis milhões de litros de vinho por ano.

  • Se pedir ao seu cão para ir buscar uma garrafa de vinho ele vai?
    0:49

    País

    Há 25 anos a vindimar no Alentejo, o enólogo João Portugal Ramos produz seis milhões de litros de vinho por ano. Em Estremoz comprou casa e terra. Iniciou a plantação de vinhas próprias e a construção de uma adega. Um espaço que conhece como as palmas da mão. Ele e um amigo muito especial.

  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Morreu a mulher mais rica do mundo

    Mundo

    Liliane Bettencourt, herdeira do grupo de cosméticos L'Oréal e a mulher mais rica do mundo, segundo a revista Forbes, morreu na quarta-feira à noite aos 94 anos, anunciou a família.

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC