sicnot

Perfil

Mundo

Rússia vai reforçar arsenal nuclear com 40 mísseis intercontinentais

A Rússia vai reforçar o seu arsenal nuclear até ao final de 2015 com 40 novos mísseis intercontinentais, anunciou hoje o presidente russo, Vladimir Putin.

© RIA Novosti / Reuters

"Este ano, a dimensão das nossas forças nucleares vai aumentar com cerca de 40 novos mísseis balísticos intercontinentais que serão capazes de resistir mesmo aos sistemas de defesa tecnologicamente mais avançados", disse Putin na abertura de uma exposição de material militar nos arredores de Moscovo. 

O anúncio é feito dias depois de a Rússia ter reagido com irritação a notícias segundo as quais os Estados Unidos estão a preparar um reforço da sua presença militar no leste europeu.

Segundo o New York Times, o Pentágono prevê estacionar armamento pesado para até 5.000 tropas em vários países da Europa de Leste e no Báltico para dissuadir agressões russas. 

Se a proposta for aprovada, tratar-se-á da primeira vez desde o fim da Guerra Fria que os Estados Unidos têm equipamento militar pesado em países que hoje são membros da NATO, mas nessa altura estavam sob influência da União Soviética. 

A divulgação da proposta foi muito criticada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, que num comunicado acusou Washington de "alimentar tensões" e advertiu que os planos de Washington "podem adquirir vida própria".










Lusa
  • A Verdade sobre a Mentira
    35:13
  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • Mais de 120 pessoas com hepatite A
    2:23

    País

    O surto de hepatite A já infetou 128 pessoas, 60 das quais estão internadas em hospitais de Lisboa e Coimbra. A Direção-Geral da saúde recomenda a vacinação apenas aos familiares dos doentes. Apesar de não haver ruptura de stocks, há farmácias que não têm vacinas.

  • Sobreviventes de Mossul relatam mutilações e execuções do Daesh
    1:32