sicnot

Perfil

Mundo

Rússia vai reforçar arsenal nuclear com 40 mísseis intercontinentais

A Rússia vai reforçar o seu arsenal nuclear até ao final de 2015 com 40 novos mísseis intercontinentais, anunciou hoje o presidente russo, Vladimir Putin.

© RIA Novosti / Reuters

"Este ano, a dimensão das nossas forças nucleares vai aumentar com cerca de 40 novos mísseis balísticos intercontinentais que serão capazes de resistir mesmo aos sistemas de defesa tecnologicamente mais avançados", disse Putin na abertura de uma exposição de material militar nos arredores de Moscovo. 

O anúncio é feito dias depois de a Rússia ter reagido com irritação a notícias segundo as quais os Estados Unidos estão a preparar um reforço da sua presença militar no leste europeu.

Segundo o New York Times, o Pentágono prevê estacionar armamento pesado para até 5.000 tropas em vários países da Europa de Leste e no Báltico para dissuadir agressões russas. 

Se a proposta for aprovada, tratar-se-á da primeira vez desde o fim da Guerra Fria que os Estados Unidos têm equipamento militar pesado em países que hoje são membros da NATO, mas nessa altura estavam sob influência da União Soviética. 

A divulgação da proposta foi muito criticada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, que num comunicado acusou Washington de "alimentar tensões" e advertiu que os planos de Washington "podem adquirir vida própria".










Lusa
  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.