sicnot

Perfil

Mundo

Vladimir Putin diz que Rússia deve defender-se se for ameaçada

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse hoje que a Rússia vai ter de se defender se for ameaçada, salientando que a NATO está a "chegar às suas fronteiras".

© Lehtikuva Lehtikuva / Reuters

"Se alguém coloca algum dos nossos territórios sob ameaça, significa que teremos de direcionar as nossas Forças Armadas e o nosso moderno poder de luta para aqueles territórios, de onde vier a ameaça", disse Vladimir Putin, durante uma reunião nos arredores de Moscovo com o seu homólogo finlandês, Sauli Niinisto.

Segundo o chefe de Estado russo, caso seja verificada alguma ameaça, a Rússia deve neutralizá-la, reagindo de forma adequada e aplicar a sua política de defesa.

"É a NATO que está a vir para as nossas fronteiras, não somos nós que nos estamos a mexer", disse o Presidente russo.

O chefe de Estado russo também salientou que os observadores não devem aumentar as questões, referindo-se à ameaça da NATO.

"É claro que vamos analisar tudo, seguir com cuidado. Até agora não vejo nada que nos obrigue a ter especial preocupação", sublinhou, acrescentando que "são mais sinais políticos direcionadas para a Rússia e seus aliados".

Putin anunciou hoje que a Rússia vai reforçar o seu arsenal nuclear com mais 40 mísseis intercontinentais.

Em reação ao anúncio de Vladimir Putin, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, considerou o reforço do arsenal russo é "injustificado, desestabilizador e perigoso" e que dá razão ao reforço da presença da Aliança Atlântica na Europa de Leste.









Lusa
  • Queda de avioneta em Espanha causa 4 mortos

    Mundo

    Uma avioneta com destino a Cascais, em que seguia uma família de quatro pessoas - dois adultos e dois menores - caiu em Sotillo de las Palomas, em Toledo, Espanha.

    Em desenvolvimento

  • Um discurso histórico com os pedidos de sempre
    2:30

    País

    Jerónimo de Sousa voltou este domingo a pedir a renegociação da dívida e a saída de Portugal do euro. Num discurso historicamente curto, apenas 15 minutos, no encerramento do Congresso do PCP, o reeleito secretário-geral comunista anunciou que o aumento dos salários e a reversão das alterações à legislação laboral são duas prioridades para os próximos tempos.

  • Mais de 50 milhões de italianos decidem futuro do país
    1:43

    Mundo

    Este domingo, está nas mãos de mais de 50 milhões de eleitores italianos o futuro do país. Mais do que um voto à reforma constitucional, o referendo terá consequências políticas diretas no Governo italiano. As urnas fecham às 23h00, 22h00 em Lisboa. Os primeiros resultados são esperados meia hora depois.