sicnot

Perfil

Mundo

Casal descobre garrafa com uma mensagem escrita em 1971

Um casal australiano descobriu uma garrafa que continha uma mensagem escrita há 44 anos, durante um passeio por uma praia na Escócia. O bilhete foi redigido por um rapaz que, na altura, tinha 14 anos, e data de 15 de janeiro de 1971.

Rick Rycroft

Ao que parece Raymond Davidson, o autor da carta, vivia em Inglaterra e estaria de visita à Escócia. Shelly e Sean Thomas afirmaram que seria "maravilhoso" encontrarem o rapaz antes de regressarem a casa.

Sean Thomas contou à BBC que foi dar uma volta com a mulher no meio das dunas e que a garrafa estava lá no meio, escondida entre outras tantas. Shelly acrescentou que o marido "coleciona garrafas e avistou aquelas. Quando estava a mexer nelas, viu que havia algo dentro de uma das garrafas. Conseguimos abri-la e lá estava a carta."

Se Raymond Davidson estiver vivo por esta altura terá cerca de 58 anos.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • O que muda com a saída do Procedimento por Défice Excessivo?
    2:10
  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • Marcelo opta pelo silêncio sobre a eutanásia
    1:09

    Eutanásia

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que só tomará uma posição sobre a eutanásia quando o diploma chegar a Belém. O chefe de Estado garante que vai ficar em silêncio, para não condicionar o debate e também "para ficar de mãos livres para decidir".