sicnot

Perfil

Mundo

Chade proíbe uso da "burqa" por razões de segurança

O Chade proibiu o uso da "burqa", manto que cobre o rosto e todo o corpo, por razões de segurança após o duplo atentado suicida que causou 33 mortos na segunda-feira em N'djamena, anunciou hoje o primeiro-ministro chadiano.

© Stephane Mahe / Reuters

Kalzeube Pahimi Deubet, que falava aos chefes das diferentes comunidades religiosas na véspera do início do Ramadão, disse que "o uso da 'burqa' deve parar imediatamente a partir deste dia, não apenas em locais públicos e nas escolas, mas em todo o território". 

Na segunda-feira, pelo menos 33 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas num duplo ataque suicida na capital do Chade, que teve como alvo a polícia e que o governo atribuiu ao movimento extremista Boko Haram.

Estes foram os primeiros ataques deste tipo na capital do país centro-africano, que tem estado na linha da frente da luta regional contra o grupo islâmico nigeriano. 

Lusa
  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14