sicnot

Perfil

Mundo

Movimento extremista Estado Islâmico no Iémen reivindica atentados em Sanaa

O ramo do movimento terrorista Estado Islâmico (EI) no Iémen reivindicou hoje um atentado com um veículo armadilhado e bombas em Sanaa. 

© Khaled Abdullah Ali Al Mahdi

Em comunicado, o ramo iemenita do EI garantiu ter realizado um ataque com quatro veículos armadilhados colocados nas proximidades de edifícios relacionados com o movimento rebelde xiita 'huthi', em diferentes zonas da cidade. 

Pelo menos 31 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em Sanaa, em cinco atentados simultâneos contra mesquitas xiitas e a casa de Saleh al-Sammad, chefe da comissão política da rebelião 'huthi', que controla a capital iemenita, disseram responsáveis.

Dois engenhos explosivos deflagraram em frente de duas outras mesquitas durante a oração da noite, indicaram testemunhas e fontes da segurança. 

Os ataques aconteceram quando decorrem em Genebra negociações indiretas entre rebeldes 'Huthis', que tomaram Sanaa em janeiro do ano passado, e o governo iemenita exilado na Arábia Saudita. 

Os combates no Iémen, onde uma coligação liderada pela Arábia Saudita realiza desde 26 de março ataques contra posições rebeldes, causaram 2.600 mortos, desde o fim de março, de acordo com dados da ONU. 

Os ataques aéreos não travaram a progressão dos rebeldes que, além de Sanaa, controlam uma grande parte de Aden, segunda cidade do país, e grandes zonas de outras províncias. 

Lusa
  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.