sicnot

Perfil

Mundo

Obama condena "assassínios sem sentido" em Charleston

O Presidente norte-americano condenou esta quinta-feira os "assassínios sem sentido" num tiroteio que fez nove mortos numa igreja da comunidade negra de Charleston, apelando novamente para um melhor enquadramento legal da venda de armas de fogo. 

"Não dispomos de todos os elementos mas sabemos que, mais uma vez, inocentes foram mortos porque alguém que queria fazê-lo não teve qualquer dificuldade em arranjar uma arma", declarou Obama.

"Não dispomos de todos os elementos mas sabemos que, mais uma vez, inocentes foram mortos porque alguém que queria fazê-lo não teve qualquer dificuldade em arranjar uma arma", declarou Obama.

Susan Walsh / AP

Dizendo que sentiu "tristeza e ira", Barack Obama sublinhou ser "particularmente doloroso" assistir a um tiroteio "num local em que se procura reconforto e paz, um lugar de oração".

O presumível autor do ataque perpetrado na quarta-feira à noite, Dylann Roof, um jovem branco de 21 anos, foi hoje detido.

"Não dispomos de todos os elementos mas sabemos que, mais uma vez, inocentes foram mortos porque alguém que queria fazê-lo não teve qualquer dificuldade em arranjar uma arma", declarou Obama, ao lado do vice-presidente, Joe Biden.

"Devemos admitir que este tipo de violência não acontece noutros países desenvolvidos, isto não acontece com a mesma frequência", prosseguiu.

"E nós podemos fazer alguma coisa", disse ainda, acrescentando: "A dada altura, o povo norte-americano vai ter de enfrentar esta realidade (...), devemos ser capazes de fazer evoluir a nossa forma de pensar sobre a violência com armas de fogo".

Já em dezembro de 2012, após o massacre de 20 estudantes no Connecticut, Obama salientara a necessidade de legislar sobre esta matéria. Mas, apesar da emoção provocada pela tragédia, esbarrou novamente com a frontal oposição do Congresso.

"O facto de isto ter acontecido numa igreja negra levanta evidentemente questões sobre uma página sombria da nossa história", afirmou ainda o Presidente dos Estados Unidos.

"Não é a primeira vez que igrejas negras são atacadas e sabemos que o ódio entre religiões e entre raças representa uma verdadeira ameaça para a nossa democracia e os nossos ideais", acrescentou Obama, que voou em seguida para a Califórnia, onde participará na recolha de fundos para o Partido Democrata.
Lusa
  • Detido presumível autor de tiroteio em Charleston

    Mundo

    O presumível autor do homicídio de nove pessoas, hoje abatidas a tiro numa igreja da comunidade negra de Charleston, nos Estados Unidos, foi detido, noticiou a imprensa. O jovem branco de 21 anos, identificado como Dylann Roof, foi intercetado em Shelby, no estado da Carolina do Norte, em circunstâncias ainda desconhecidas, segundo a estação televisiva local WLTX19 e a CNN. 

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.