sicnot

Perfil

Mundo

Barack Obama visita Etiópia e União Africana em julho

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, realiza no final de julho uma visita à Etiópia e à sede da União Africana, a primeira de um chefe de Estado norte-americano, anunciou hoje a Casa Branca.

© Jonathan Ernst / Reuters

A viagem de Barack Obama para Addis Abeba ocorrerá depois de uma visita ao Quénia, a primeira como Presidente à terra natal do seu pai.

Em Addis Abeba, Barack Obama vai reunir-se com os líderes do Governo da Etiópia e da União Africana, com quem vai abordar assuntos como o "crescimento económico, reforço das instituições democráticas e segurança", referiu a Casa Branca. 

Em agosto, a Casa Branca organizou uma reunião em Washington com líderes africanos e as viagens de julho destinam-se a intensificar os laços económicos.

A visita presidencial ao Quénia foi adiada depois de o Presidente queniano, Uhuru Kenyatta, ter sido acusado de crimes contra a Humanidade pela sua intervenção na violência pós-eleitoral registada entre 2007 e 2008.

O Tribunal Penal Internacional acabou por suspender a acusação contra Kenyatta, alegando falta de provas.

Grupos de ativistas dos direitos humanos questionaram a visita ao Quénia, mas também a visita de Barack Obama à Etiópia, depois das eleições de maio, consideradas pelos observadores como uma fraude.

"A decisão do Presidente Obama de viajar para a Etiópia, quando três membros do partido da oposição foram assassinados, é preocupante", disse Jeffrey Smith, do Centro Robert J. Kennedy de Direitos Humanos e Justiça.

Para Jeffrey Smith, a viagem de Obama "solidifica ainda mais a imagem de que a América apoia os autocratas de África".

A Etiópia e o Quénia estiveram na linha da frente na Somália na luta contra a milícia da Al-Qaida Shebab e têm sido importantes parceiros de Washington na área da segurança.








Lusa
  • Marcelo e Costa unidos contra contagem do tempo integral de serviço
    2:45

    País

    Em menos de 24 horas, o Presidente da República e o primeiro-ministro deram publicamente sinais de que estão unidos contra a contagem de todo o tempo de serviço de professores e outros agentes do Estado para efeitos salariais. Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa disseram que essa possibilidade é uma ilusão e que o país não tem condições para voltar aos níveis anteriores à crise.

  • Estudante português desaparecido no mar Báltico

    País

    Um jovem português de 21 anos desapareceu na segunda-feira, dia 13 de novembro, enquanto fazia uma viagem de cruzeiro entre a cidade finlandesa de Helsínquia e a capital da Suécia, Estocolmo. As autoridades locais fizeram buscas na madrugada em que Diogo Penalva caiu ao mar Báltico, por volta das duas da manhã.

  • Paris inaugura primeiro restaurante naturista

    Mundo

    Para entrar, é preciso retirar a roupa e apenas as mulheres podem permanecer calçadas. O primeiro restaurante naturista de Paris abriu em novembro para responder a uma necessidade em França, principal destino do mundo para os praticantes de nudismo.

  • Político indiano oferece 1,3 milhões por decapitação de atriz

    Mundo

    Deepika Padukone é uma das personagens principais do filme que retrata a relação entre uma rainha hindu e um governante muçulmano. O filme enfureceu um político do Governo indiano, que ofereceu 1,3 milhões de euros como recompensa a quem decapitasse a atriz. A polícia já destacou agentes para proteger a atriz, bem como a sua família.