sicnot

Perfil

Mundo

Barack Obama visita Etiópia e União Africana em julho

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, realiza no final de julho uma visita à Etiópia e à sede da União Africana, a primeira de um chefe de Estado norte-americano, anunciou hoje a Casa Branca.

© Jonathan Ernst / Reuters

A viagem de Barack Obama para Addis Abeba ocorrerá depois de uma visita ao Quénia, a primeira como Presidente à terra natal do seu pai.

Em Addis Abeba, Barack Obama vai reunir-se com os líderes do Governo da Etiópia e da União Africana, com quem vai abordar assuntos como o "crescimento económico, reforço das instituições democráticas e segurança", referiu a Casa Branca. 

Em agosto, a Casa Branca organizou uma reunião em Washington com líderes africanos e as viagens de julho destinam-se a intensificar os laços económicos.

A visita presidencial ao Quénia foi adiada depois de o Presidente queniano, Uhuru Kenyatta, ter sido acusado de crimes contra a Humanidade pela sua intervenção na violência pós-eleitoral registada entre 2007 e 2008.

O Tribunal Penal Internacional acabou por suspender a acusação contra Kenyatta, alegando falta de provas.

Grupos de ativistas dos direitos humanos questionaram a visita ao Quénia, mas também a visita de Barack Obama à Etiópia, depois das eleições de maio, consideradas pelos observadores como uma fraude.

"A decisão do Presidente Obama de viajar para a Etiópia, quando três membros do partido da oposição foram assassinados, é preocupante", disse Jeffrey Smith, do Centro Robert J. Kennedy de Direitos Humanos e Justiça.

Para Jeffrey Smith, a viagem de Obama "solidifica ainda mais a imagem de que a América apoia os autocratas de África".

A Etiópia e o Quénia estiveram na linha da frente na Somália na luta contra a milícia da Al-Qaida Shebab e têm sido importantes parceiros de Washington na área da segurança.








Lusa
  • Descida da TSU inconstitucional?
    2:37

    TSU

    Especialistas ouvidos pela SIC põem em causa a constitucionalidade da descida da Taxa Social Única dos patrões, como contrapartida pelo aumento do salário mínimo. Como se trata de um imposto pago pelas empresas, só o Parlamento pode decidir uma alteração nas taxas. Neste caso, o Governo decidiu sozinho.

  • Autocarro com seguranças atacado em Braga
    0:42

    Desporto

    Dois autocarros que transportavam elementos de uma empresa de segurança foram atingidos por tiros e pedras depois do jogo entre o Sporting de Braga e o Vitória de Guimarães. O ataque deu-se a poucos quilómetros do Estádio Municipal de Braga. A PSP e a PJ estiveram no local a recolher provas.