sicnot

Perfil

Mundo

Papa visita República Centro-Africana e Uganda de 27 a 29 de novembro

O papa Francisco vai visitar o Uganda e a República Centro-Africana de 27 a 29 de novembro, na sua primeira viagem a África, anunciou esta sexta-feira o Vaticano. 

Francisco, que publicou na quinta-feira uma encíclica sobre o ambiente, empreendeu no Vaticano uma difícil reforma da Cúria Romana (o governo da Igreja Católica), enquanto continua a preparar o sínodo (reunião de bispos) sobre a família. (Arquivo)

Francisco, que publicou na quinta-feira uma encíclica sobre o ambiente, empreendeu no Vaticano uma difícil reforma da Cúria Romana (o governo da Igreja Católica), enquanto continua a preparar o sínodo (reunião de bispos) sobre a família. (Arquivo)

© Giampiero Sposito / Reuters

A informação foi publicada no 'site' da prefeitura da casa pontifícia do Vaticano. 

O papa argentino tinha referido diversas vezes, nos últimos meses, um projeto de viagem a África em novembro. 

"Se Deus quiser, irei em novembro à República Centro-Africana e depois ao Uganda", disse há uma semana perante milhares de padres de todo o mundo, reunidos na basílica de São João de Latrão. 

Na República Centro-Africana, a viagem vai decorrer "antes da mudança de Presidente e no Uganda por ocasião do 50.º aniversário da canonização" de 22 jovens mártires por Paulo VI em 1984, na primeira visita de um papa a África, disse Francisco.

Este anúncio papal acontece depois das autoridades de transição centro-africanas terem publicado um novo calendário eleitoral, com as eleições presidenciais marcadas para 18 de outubro e uma eventual segunda volta a 22 de novembro. 

Na República Centro-Africana a violência inter-religiosa causou milhares de vítimas entre 2013 e o ano passado. O Uganda continua sob a ameaça das milícias islâmicas 'shebab', da vizinha Somália. 

Francisco, que publicou na quinta-feira uma encíclica sobre o ambiente, empreendeu no Vaticano uma difícil reforma da Cúria Romana (o governo da Igreja Católica), enquanto continua a preparar o sínodo (reunião de bispos) sobre a família. 

Após uma deslocação ao Sri Lanka e às Filipinas em janeiro, o papa visita em julho o Equador, a Bolívia e o Paraguai. Em setembro estará em Cuba e depois nos Estados Unidos e discursará na ONU. 
Lusa
  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagas as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Presidente da Câmara de Nova Iorque confirma "atentado terrorista falhado"
    0:29
  • Israel volta a bombardear posições do Hamas em Gaza

    Mundo

    O exército israelita voltou a bombardear esta segunda-feira posições do movimento Hamas na Faixa de Gaza em resposta ao lançamento de projéteis em direção a Israel pelas milícias palestinianas, informou um comunicado militar.

  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.