sicnot

Perfil

Mundo

Primeira ronda de consultas de paz sobre o Iémen chegam ao fim sem perspetivas de fim do conflito

As consultas de paz sobre o conflito no Iémen que decorreram em Genebra, terminaram sem alcançar o fim das hostilidades, anunciou hoje o enviado especial das Nações Unidas para esse país, o mauritano Ismail Ould Sheikh Ahmed.

Hani Mohammed

"Creio que há acordo entre as duas partes quanto à importãncia de se obter uma trégua. Contudo, são necessárias mais consultas", disse o mediador, que falava em conferência de imprensa.

Desde a passada terça-feira que Genebra acolhe a primeira ronda de consultas de paz entre o Governo iemenita no exílio e os rebeldes xiitas 'huthis', que na sequência de uma ofensiva em setembro de 2014, controlam atualmente grande parte do país, incluindo a capital, Sanaa.

Ismail Ould Sheikh Ahmed disse ainda que vai viajar de imediato para Nova Iorque, para expor a situação ao secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e ao Conselho de Segurança, embora continue a manter à distância o diálogo com as partes em conflito para se chegar a uma trégua.

Os combates no Iémen, onde uma coligação liderada pela Arábia Saudita realiza desde 26 de março ataques contra posições rebeldes, causaram já 2.600 mortos, desde o fim de março, de acordo com dados da ONU.

Os ataques aéreos não travaram a progressão dos rebeldes que, além de Sanaa, controlam uma grande parte de Aden, segunda cidade do país, e grandes zonas de outras províncias.

A situação humanitária é catastrófica neste país da península arábica.

Lusa
  • Corpos de portuguesas trasladados segunda-feira 
    1:27
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Estado vai tomar posse de terras abandonadas

    País

    O Governo vai recorrer ao Código Civil para permitir que o Estado tome posse de terras ao abandono. À margem da entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro anunciou que o Governo irá acionar o artigo 1345º do Código Civil, que estabelece que as coisas imóveis sem dono conhecido se consideram do património do Estado.

  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22