sicnot

Perfil

Mundo

Ban Ki-moon pede tolerância e humanidade com os refugiados

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, apelou hoje à comunidade internacional para que demonstre tolerância e humanidade com o número crescente de refugiados, que alcançou níveis históricos.

© Eric Gaillard / Reuters

No Dia Mundial do Refugiado, Ban Ki-moon recordou, em comunicado, que no final do ano passado alcançou-se um recorde de refugiados, deslocados e pedidos de asilo, num total de 59,5 milhões de pessoas.

"Isto significa que um em cada 122 seres humanos é refugiado, deslocado ou está em busca de asilo", acrescentou o secretário-geral da ONU, ao recordar dados divulgados na quinta-feira pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

"Eles [refugiados] tinham as suas vidas antes de serem obrigados a saírem dos seus países, e o seu maior sonho é regressar à normalidade", acrescentou Ban Ki-moon.

O responsável mencionou os conflitos na Síria, no Iraque, na Ucrânia, no Sudão do Sul, na República Centro-africana, na Nigéria e em partes do Paquistão, zonas onde se registou "um impactante aumento e aceleração" da deslocação de pessoas por razões alheias à sua vontade.

"Além disso, muitos conflitos de larga duração continuam sem se resolver e o número de refugiados capazes de regressar a casa no ano passado foi o baixo dos últimos 30 anos", acrescentou.

"Neste Dia Mundial do Refugiado, façamos valer a nossa humanidade comum, celebremos a tolerância e a diversidade e abramos os nossos corações aos refugiados do mundo inteiro", disse.










Lusa
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.