sicnot

Perfil

Mundo

Milhares juntam-se em ponte numa "corrente" pelas vítimas de Charleston

Milhares de pessoas juntaram-se numa das mais longas pontes do continente americano, no domingo, e deram as mãos, num gesto de solidariedade para com as vítimas do massacre na igreja de Charleston, nos Estados Unidos.

© Carlo Allegri / Reuters

O grupo formou uma fila entre Charleston e Mount Pleasant, sobre o rio Cooper, para formar o que os organizadores chamaram de Ponte para a Corrente de União de Paz, com quase quatro quilómetros.

"Não são apenas as vidas dos negros que são importantes, todas as vidas contam. Estamos unidos como espécie humana", disse o líder do movimento "As vidas negras são importantes", Jay Johnson.

Na ponte Arthur Ravenel, de mãos dadas, os participantes fizeram nove minutos de silêncio, um por cada vítima do massacre da passada quarta-feira na igreja metodista episcopal.

Dylann Roof, de 21 anos, foi formalmente acusado do homicídio das nove pessoas, tendo alegadamente afirmado que o objetivo do ataque era iniciar uma "guerra racial"
  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Samsung vai vender modelos reparados do Galaxy Note 7

    Economia

    A Samsung Electronics anunciou hoje que vai vender e alugar telemóveis reparados do modelo Galaxy Note 7 depois de no ano passado a empresa ter decidido suspender a respetiva produção devido a incêndios nas baterrias de íon-lítio.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.