sicnot

Perfil

Mundo

Milhares juntam-se em ponte numa "corrente" pelas vítimas de Charleston

Milhares de pessoas juntaram-se numa das mais longas pontes do continente americano, no domingo, e deram as mãos, num gesto de solidariedade para com as vítimas do massacre na igreja de Charleston, nos Estados Unidos.

© Carlo Allegri / Reuters

O grupo formou uma fila entre Charleston e Mount Pleasant, sobre o rio Cooper, para formar o que os organizadores chamaram de Ponte para a Corrente de União de Paz, com quase quatro quilómetros.

"Não são apenas as vidas dos negros que são importantes, todas as vidas contam. Estamos unidos como espécie humana", disse o líder do movimento "As vidas negras são importantes", Jay Johnson.

Na ponte Arthur Ravenel, de mãos dadas, os participantes fizeram nove minutos de silêncio, um por cada vítima do massacre da passada quarta-feira na igreja metodista episcopal.

Dylann Roof, de 21 anos, foi formalmente acusado do homicídio das nove pessoas, tendo alegadamente afirmado que o objetivo do ataque era iniciar uma "guerra racial"
  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.