sicnot

Perfil

Mundo

Aeroportos na Nova Zelândia retomam normalidade após falha nos radares

Os aeroportos da Nova Zelândia retomaram hoje as operações, horas depois de uma falha nos sistemas de radares ter deixado em terra cerca de 200 aviões no país oceânico. 

© TIM WIMBORNE / Reuters

A informação foi divulgada pela Airways New Zeland, que controla o espaço aéreo da Nova Zelândia, na sua conta de Twitter, informa a agência Efe. 

As causas da falha nos radares continuavam por apurar, disse o ministro do Transporte, Simon Bridges, depois de falar do assunto com a Autoridade de Aviação Civil e com a Airways New Zealand.

"Garantiram-me que não comprometeu a segurança dos passageiros dos aviões e continuo a receber dados atualizados sobre a situação", acrescentou o ministro em declarações citadas pela televisão neozelandesa TVNZ.

Ao início da tarde (hora local), a Airways Nova Zelândia informou através das redes sociais que tinha sido detetado um problema nos sistemas de radar em todo o país e que os especialistas estavam a trabalhar para corrigi-lo.

Os aviões que estavam naquela altura a voar aterraram em segurança, mas as saídas de cerca de 200 aparelhos foram atrasadas, de acordo com a Rádio Nova Zelândia.

Alguns milhares de pessoas foram afetadas por atrasos e ainda esperam nos aeroportos para retomar os seus voos, numa altura em que a prioridade está a ser dada às rotas internacionais, informou a estação citada pela EFE.


Lusa

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Erdogan apela ao reconhecimento de Jerusalém Oriental como capital
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28