sicnot

Perfil

Mundo

Aeroportos na Nova Zelândia retomam normalidade após falha nos radares

Os aeroportos da Nova Zelândia retomaram hoje as operações, horas depois de uma falha nos sistemas de radares ter deixado em terra cerca de 200 aviões no país oceânico. 

© TIM WIMBORNE / Reuters

A informação foi divulgada pela Airways New Zeland, que controla o espaço aéreo da Nova Zelândia, na sua conta de Twitter, informa a agência Efe. 

As causas da falha nos radares continuavam por apurar, disse o ministro do Transporte, Simon Bridges, depois de falar do assunto com a Autoridade de Aviação Civil e com a Airways New Zealand.

"Garantiram-me que não comprometeu a segurança dos passageiros dos aviões e continuo a receber dados atualizados sobre a situação", acrescentou o ministro em declarações citadas pela televisão neozelandesa TVNZ.

Ao início da tarde (hora local), a Airways Nova Zelândia informou através das redes sociais que tinha sido detetado um problema nos sistemas de radar em todo o país e que os especialistas estavam a trabalhar para corrigi-lo.

Os aviões que estavam naquela altura a voar aterraram em segurança, mas as saídas de cerca de 200 aparelhos foram atrasadas, de acordo com a Rádio Nova Zelândia.

Alguns milhares de pessoas foram afetadas por atrasos e ainda esperam nos aeroportos para retomar os seus voos, numa altura em que a prioridade está a ser dada às rotas internacionais, informou a estação citada pela EFE.


Lusa

  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07