sicnot

Perfil

Mundo

EUA recusam confirmar ou negar alegada espionagem a presidentes franceses

Os Estados Unidos recusaram hoje confirmar ou negar relatos de que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos tenha espiado três presidentes franceses.

© Tobias Schwarz / Reuters

"Nós não vamos comentar alegações sobre os serviços de informação", referiu, em comunicado, aos jornalistas o Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca.

"De um modo geral, nós não realizamos atividades de vigilância a estrangeiros a menos que haja um propósito específico relacionado com a segurança nacional", sublinha o documento.

Os EUA espiaram, pelo menos entre 2006 e 2012, os três últimos presidentes franceses, Jacques Chirac, Nicolas Sarkozy e François Hollande, segundo documentos da Wikileaks revelados hoje à noite pelo diário Libération e o sítio na Internet Mediapart.

Os documentos, classificados 'top secret', consistem em cinco relatórios da agência de informações norte-americana NSA, baseados em "interceções de comunicação", que eram destinados à "comunidade das informações" dos EUA e a dirigentes da NSA, segundo o Libération. 

Os relatórios são provenientes de um serviço identificado como 'Summary Services', isto é, 'o serviço das sínteses'. 

Sem revelações particularmente embaraçantes, esclarecem porém o modo de funcionamento e tomada de decisão de Hollande e dos seus antecessores. 

O documento mais recente é de 22 de maio de 2012, apenas alguns dias depois de Hollande tomar posse, e dá conta de reuniões secretas destinadas a discutir a eventual saída da Grécia da Zona Euro. 

Sobre Nicolas Sarkozy, alguns documentos revelam que este se revia em 2008 como "o único homem capaz" de resolver a crise financeira. O antigo chefe da diplomacia de Jacques Chirac, Philippe Douste-Blazy, era descrito como tendo "propensão (...) para fazer declarações inexatas e inoportunas". 

A Alemanha foi abalada no verão de 2013 por revelações do antigo consultor da NSA, sigla em inglês de Agência de Segurança Nacional, Edward Snowden, que expôs um vasto sistema de vigilância de conversas telefónicas e comunicações via Internet dos alemães, incluindo um telemóvel da chanceler Angela Merkel, durante vários anos.

O Presidente francês, François Hollande, marcou para a manhã de quarta-feira uma reunião de responsáveis da Defesa, depois da divulgação de documentos da Wikileaks que dão conta da espionagem dos EUA a chefes de Estado franceses. 

Lusa
  • "O bom senso obriga a acordo para a estabilização do sistema financeiro"
    2:06

    Economia

    O Presidente da República disse esta quarta-feira que "o bom senso obriga a que todos estejam de acordo para a estabilização do sistema financeiro". Num aparente recado a Passos Coelho, Marcelo apelou a um consenso de regime e avisou que "não há prazer tático que justifique o desgaste" provocado pelas divisões atuais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.