sicnot

Perfil

Mundo

Ganhos na saúde no último meio século ameaçados por clima

A ameaça para a saúde humana representada pelas alterações climáticas é tão importante que pode comprometer os avanços conseguidos no último meio século, alerta um estudo hoje divulgado pela revista "The Lancet".

© Kim Kyung Hoon / Reuters

Os autores do trabalho, cientistas europeus e chineses, consideram que "o catastrófico risco potencial" do aquecimento do planeta para a saúde dos seres humanos tem sido subestimado. 

"As alterações climáticas constituem uma emergência médica e, portanto, requerem uma resposta urgente", afirmou Hugh Montgomery, diretor do Instituto para a Saúde Humana do University College London.

No documento sustenta-se que o impacto direto das alterações climáticas na saúde das pessoas resulta da maior frequência e intensidade de eventos meteorológicos extremos, como ondas de calor, inundações, secas e tempestades. 

As alterações climáticas têm também consequências indiretas para os humanos, como mudanças nos padrões de propagação de doenças infecciosas, aumento da poluição atmosférica, insegurança alimentar e má nutrição.

"As alterações climáticas têm o potencial de reverter as melhorias verificadas na saúde que o desenvolvimento económico conseguiu nas últimas décadas", disse Anthony Costello, responsável do Instituto para a Saúde Global do UCL.



RN // ARA

Lusa/Fim

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.