sicnot

Perfil

Mundo

Médicos alertam para riscos de "skinny jeans" para a saúde

Médicos australianos advertem que as calças "skinny" podem representar um risco para a saúde, depois de uma mulher ter temporariamente deixado de sentir as pernas após utilizar aquela peça de vestuário durante várias horas. 

skynnyjeans.com

A mulher, de 35 anos, desmaiou e teve de ser hospitalizada depois de ter estado várias horas agachada a arrumar armários quando ajudava um familiar a mudar de casa.

O caso foi relatado numa publicação britânica especializada da área da neurologia, o  Journal of Neurology Neurosurgery & Psychiatry.

"Ela esteve a usar 'skinny' jeans e recordou que se sentiu cada vez mais apertada e desconfortável com o passar do dia", relata o jornal.

Segundo o jornal, ao final do dia, a mulher sentiu dormência nos pés e dificuldades em andar, acabando por cair. Como não se conseguiu levantar, esteve várias horas deitada até ser encontrada.

As pernas ficaram tão inchadas que as calças tiveram de ser cortadas para serem removidas, refere o relato médico, acrescentando que a mulher não conseguia mexer os tornozelos e os pés e tinha deixado de sentir as pernas e os pés.

A mulher foi posta a soro e só conseguiu andar normalmente quatro dias depois.

Os médicos do Royal Adelaide Hospital, no sul da Austrália, afirmaram que as calças, combinadas com o agachamento, reduziram o fornecimento de sangue aos músculos das pernas.

Ao mesmo tempo, as fibras nervosas que ligam a parte inferior da perna foram danificadas devido à compressão prolongada, o que explica o entorpecimento e perda de controlo.

"O presente caso representa uma nova complicação neurológica de vestir jeans apertados", acrescenta a publicação.


Lusa
  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os discursos de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa estiveram no Jornal da Noite da SIC, onde analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O Diretor de Informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida