sicnot

Perfil

Mundo

Novo satélite europeu de observação da Terra lançado com sucesso

Um novo satélite de observação da Terra, o Sentinel-2A, capaz de fornecer dados pormenorizados sobre desastres naturais, problemas ambientais e produção agrícola, foi lançado hoje, divulgou a Agência Espacial Europeia (ESA). 

Lançado por um foguetão Vega a partir do centro espacial da  ESAem Kouru, na Guiana Francesa, o Sentinel-2A irá reforçar a capacidade de observação ambiental do programa Copernicus, da União Europeia.

O novo satélite transporta equipamento de captação de imagens de alta-definição, incluindo em infravermelhos, que permitem obter dados rigorosos sobre a cobertura de vegetação, ajudando a antever colheitas menos boas e a alertar para potenciais situações de fome.

"Esta informação será utilizada para práticas agrícolas e florestais e para ajudar a gerir a segurança alimentar", pode ler-se na página da Internet da ESA, acrescentando que o novo equipamento também fornecerá dados sobre a poluição de lagos, águas costeiras e deslizamentos de terras.

A contribuição do novo satélite permitirá ainda prever o impacto de desastres naturais como terramotos e, assim, aliviar os esforços da ajuda humanitária, apesar de a missão principal ser a de observar a evolução de zonas agrícolas.

"O Sentinel-2A é o segundo de uma constelação de 20 satélites que irão escrutinar o planeta Terra e aumentar a capacidade do Copernicus de providenciar aos cidadãos europeus a mais detalhada informação para aplicações ambientais e de segurança disponível em qualquer parte do mundo", refere o diretor da ESA, general Jean-Jacques Dordain.

Os sensores das câmaras do novo satélite foram concebidos para captar comprimentos de onda de luz muito específicos que conseguem detalhar a saúde das plantas, permitindo conhecimento antecipado sobre colheitas insuficientes e a possíveis casos de fome.   

Um satélite gémeo, o Sentinel-2B, tem lançamento previsto para 2016, informa a agência. 

Lusa
  • Os dias na Terra estão a ficar mais longos

    Mundo

    Os dias estão a tornar-se mais longos, mas impercetivelmente, porque vão ser precisos 6,7 milhões de anos para aumentarem um minuto, segundo um estudo publicado quarta-feira pela Proceedings A da Royal Society britânica.

  • As novas rotas da TAP em 2017
    1:59

    Economia

    No próximo ano, a TAP vai passar a voar para o Canadá. Além de Toronto, a companhia aérea vai também abrir cinco novas rotas para a Europa e aumentar algumas frequências. Fique a conhecer quais são.

  • Leica: a marca lendária entre os fotógrafos
    5:54