sicnot

Perfil

Mundo

Número de mortos em onda de calor no Paquistão muito próximo dos 700

A onda de calor sentida nos últimos dias no Paquistão provocou a morte de quase 700 pessoas, segundo um novo balanço hoje divulgado pelas autoridades locais.

© Faisal Mahmood / Reuters

A maioria das vítimas morreu em hospitais públicos na cidade portuária de Carachi, o centro económico do Paquistão, com cerca de 20 milhões de habitantes. 

Durante o fim de semana, as temperaturas em Carachi atingiram os 45 graus. 

"O número de mortos na onda de calor atingiu os 692", disse um alto responsável das autoridades sanitárias da província de Sindh, Saeed Mangnejo, admitindo que este número ainda pode aumentar. 

O último balanço dava conta de mais de 450 mortos.

O maior número de mortes foi registado no principal hospital de Carachi, Post Graduate Medical College Hospital, onde foram tratados mais de três mil doentes, afirmou, em declarações à agência noticiosa francesa AFP, o médico Semi Jamila.

A principal organização de solidariedade paquistanesa, Edhi Welfare Organisation, informou que as duas morgues da cidade receberam mais de 400 corpos nos últimos três dias. 

"As morgues atingiram a sua capacidade", afirmou o porta-voz da Edhi Welfare Organisation, Anwar Kazmi, citado pela AFP.

As autoridades paquistanesas informaram entretanto que a vaga de calor também fez sete vítimas mortais na província de Punjab nas últimas 24 horas. 

Estas mortes ocorrem numa altura em que este país maioritariamente muçulmano, com cerca de 200 milhões de habitantes, observa o mês sagrado do Ramadão, durante o qual é proibido comer e beber entre o nascer do sol e o pôr-do-sol.

Alguns clérigos lançaram avisos públicos a informar que as pessoas fisicamente mais débeis podiam abster-se de fazer jejum nestas condições difíceis. 

Os cortes no abastecimento de eletricidade registados em Carachi estão a dificultar o fornecimento de água à cidade. 

As temperaturas hoje registadas em Carachi rondavam os 44,5 graus, segundo os serviços meteorológicos paquistaneses, que informaram sobre a possível ocorrência de tempestades durante o período da noite. 

O primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, deu instruções especiais à Autoridade Nacional de Gestão de Desastres (NDMA, na sigla em inglês) e a outras organizações para fornecerem uma assistência urgente às vítimas da vaga de calor.

Esta situação no Paquistão acontece um mês depois da "vizinha" Índia ter sido afetada por uma onda de calor, que fez mais de dois mil mortos.

Lusa
  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.