sicnot

Perfil

Mundo

Casa Branca garante "não ter como alvo" comunicações de Hollande

A Casa Branca afirmou na terça-feira que "não tem como alvo" as comunicações do o Presidente francês, nem o iria fazer, depois de documentos divulgados pelo WikiLeaks indicarem que três presidentes franceses tinham sido alvo de espionagem. 

© Kevin Lamarque / Reuters

A Casa Branca, que inicialmente recusou confirmar ou negar relatos de que a Agência de Segurança Nacional norte-americna tenha espiado três presidentes franceses, disse esta noite que os Estados Unidos não visaram as comunicações de François Hollande.

"Não temos como alvo, nem vamos ter, as comunicações do Presidente Hollande", disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional Ned Price, sem abordar que tipo de vigilância foi realizada no passado. 

"Não realizamos qualquer atividade de vigilância estrangeira, a menos que haja um propósito nacional específico validado. Isto aplica-se a cidadãos comuns e aos líderes mundiais", afirmou.

O mesmo porta-voz comunicou que "os EUA estão a trabalhar de perto com a França em todos os assuntos de interesse internacional", e que "os franceses são parceiros indispensáveis".

Os EUA espiaram, pelo menos entre 2006 e 2012, os três últimos presidentes franceses, Jacques Chirac, Nicolas Sarkozy e François Hollande, segundo documentos da Wikileaks revelados esta noite pelo diário Libération e o sítio na Internet Mediapart.

Os documentos, classificados 'top secret', consistem em cinco relatórios da agência de informações norte-americana NSA, baseados em "interceções de comunicação", que eram destinados à "comunidade das informações" dos EUA e a dirigentes da NSA, segundo o Libération. 

Os relatórios são provenientes de um serviço identificado como 'Summary Services', isto é, 'o serviço das sínteses'. 

Sem revelações particularmente embaraçantes, esclarecem porém o modo de funcionamento e tomada de decisão de Hollande e dos seus antecessores. 

O documento mais recente é de 22 de maio de 2012, apenas alguns dias depois de Hollande tomar posse, e dá conta de reuniões secretas destinadas a discutir a eventual saída da Grécia da Zona Euro. 

O Presidente francês, François Hollande, marcou para a manhã de hoje uma reunião de responsáveis da Defesa, depois da divulgação de documentos da Wikileaks que dão conta da espionagem dos EUA a chefes de Estado franceses. 


Lusa


  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.