sicnot

Perfil

Mundo

Casa Branca garante "não ter como alvo" comunicações de Hollande

A Casa Branca afirmou na terça-feira que "não tem como alvo" as comunicações do o Presidente francês, nem o iria fazer, depois de documentos divulgados pelo WikiLeaks indicarem que três presidentes franceses tinham sido alvo de espionagem. 

© Kevin Lamarque / Reuters

A Casa Branca, que inicialmente recusou confirmar ou negar relatos de que a Agência de Segurança Nacional norte-americna tenha espiado três presidentes franceses, disse esta noite que os Estados Unidos não visaram as comunicações de François Hollande.

"Não temos como alvo, nem vamos ter, as comunicações do Presidente Hollande", disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional Ned Price, sem abordar que tipo de vigilância foi realizada no passado. 

"Não realizamos qualquer atividade de vigilância estrangeira, a menos que haja um propósito nacional específico validado. Isto aplica-se a cidadãos comuns e aos líderes mundiais", afirmou.

O mesmo porta-voz comunicou que "os EUA estão a trabalhar de perto com a França em todos os assuntos de interesse internacional", e que "os franceses são parceiros indispensáveis".

Os EUA espiaram, pelo menos entre 2006 e 2012, os três últimos presidentes franceses, Jacques Chirac, Nicolas Sarkozy e François Hollande, segundo documentos da Wikileaks revelados esta noite pelo diário Libération e o sítio na Internet Mediapart.

Os documentos, classificados 'top secret', consistem em cinco relatórios da agência de informações norte-americana NSA, baseados em "interceções de comunicação", que eram destinados à "comunidade das informações" dos EUA e a dirigentes da NSA, segundo o Libération. 

Os relatórios são provenientes de um serviço identificado como 'Summary Services', isto é, 'o serviço das sínteses'. 

Sem revelações particularmente embaraçantes, esclarecem porém o modo de funcionamento e tomada de decisão de Hollande e dos seus antecessores. 

O documento mais recente é de 22 de maio de 2012, apenas alguns dias depois de Hollande tomar posse, e dá conta de reuniões secretas destinadas a discutir a eventual saída da Grécia da Zona Euro. 

O Presidente francês, François Hollande, marcou para a manhã de hoje uma reunião de responsáveis da Defesa, depois da divulgação de documentos da Wikileaks que dão conta da espionagem dos EUA a chefes de Estado franceses. 


Lusa


  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalaram-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.