sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 42 mortos na Nigéria em alegados ataques do Boko Haram

Pelo menos 42 pessoas morreram desde o início da semana em dois ataques do grupo islâmico Boko Haram no nordeste da Nigéria, noticiou hoje a agência France Presse.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Akintunde Akinleye / Reuters

"Recebemos informações sobre ataques conduzidos por homens suspeitos de pertencer ao Boko Haram em duas aldeias, que fizeram 42 mortos", declarou à AFP um polícia da localidade de Biu (Estado de Borno), acrescentando que os ataques ocorreram na segunda e na terça-feira.

As notícias sobre os ataques demoraram algum tempo a ser conhecidas, informou a AFP, porque as aldeias de Debiro Biu e Debiro Hawul são ambas muito remotas.

Uma testemunha, Umaru Markus, indicou que cerca de 30 islamitas atacaram as aldeias em carrinhas "pick-up" e em motas.

Markus estava em Debiro Hawul e conseguiu fugir quando os atacantes chegaram, na noite de segunda para terça-feira.

"Eles chegaram cerca da meia-noite e meia (23:30 em Lisboa) e abriram fogo sobre a aldeia, levando a que as pessoas fugissem para a mata", explicou a testemunha à AFP por telefone, a partir de Biu.

Os homens armados, disse Markus, "massacraram 22 pessoas que não foram rápidas o suficiente a fugir", pilhando depois casas, celeiros com cereais e farmácias.

Antes do ataque a Debiro Hawul, os homens armados já tinham passado por Debiro Biu, a meio da tarde de segunda-feira.

"Ali mataram 20 pessoas, roubaram comida e queimaram as casas", acrescentou Umaru Markus.



Lusa

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05