sicnot

Perfil

Mundo

Responsável das secretas de França vai aos EUA para discutir espionagem

Um alto responsável do serviço de informações francês vai deslocar-se "nos próximos dias" aos Estados Unidos para falar com as autoridades sobre as revelações de que três presidentes franceses foram escutados pelos norte-americanos, anunciou hoje o governo francês.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Philippe Wojazer / Reuters

O "coordenador do serviço de informações francês" junto da Presidência francesa, Didier Le Bret, deverá "fazer o balanço de todas as disposições acordadas entre a França e os Estados Unidos" em matéria de espionagem, declarou o porta-voz do governo, Stéphane Le Foll, à saída da reunião semanal do Conselho de Ministros. 

O Governo francês considerou "inaceitável a espionagem entre aliados" e o Ministério dos Negócios Estrangeiros convocou para o final da tarde de hoje a embaixadora dos Estados Unidos em França, Jane Hartley, para prestar explicações, adiantou o porta-voz.

Os documentos -- classificados de secretos e que parecem indicar que os presidentes franceses Jacques Chirac, Nicolas Sarkozy e François Hollande foram espiados entre 2006 e 2012 -- foram divulgados pela WikiLeaks em parceria com o jornal francês Liberation e o 'site' Mediapart.

A Casa Branca não se pronunciou sobre o passado, mas disse não ter atualmente como alvo as comunicações de Hollande, nem pretender ter no futuro.


Lusa
  • Eduardo Cabrita nomeado ministro da Administração Interna

    País

    O primeiro-ministro propôs esta quarta-feira ao Presidente da República a nomeação de Eduardo Cabrita para o cargo de ministro da Administração Interna e de Pedro Siza Vieira para ministro Adjunto do primeiro-ministro. A tomada de posse realiza-se no sábado às 09:00.

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08