sicnot

Perfil

Mundo

Onda de calor no Paquistão já fez mais de mil mortos

A onda de calor que está a atingir o sul do Paquistão já fez mais de mil mortos. As vitimas são sobretudo idosos, trabalhadores pobres e mendigos que não têm meios para enfrentar as elevadas temperaturas.

A maior cidade do país, Carachi, é uma das mais afetadas. Os termómetros na capital financeira registaram hoje 34 graus centígrados, mas no último fim de semana atingiram os 45 graus. (Arquivo)

A maior cidade do país, Carachi, é uma das mais afetadas. Os termómetros na capital financeira registaram hoje 34 graus centígrados, mas no último fim de semana atingiram os 45 graus. (Arquivo)

© Akhtar Soomro / Reuters

O último balanço dá conta de 1079 vítimas, mas as organizações humanitárias acreditam que o número possa atingir os 1500 mortos. 

A maior cidade do país, Carachi, é uma das mais afetadas. Os termómetros na capital financeira registaram hoje 34 graus centígrados, mas no último fim de semana atingiram os 45 graus.

Uma onda de calor que acontece durante o Ramadão, mês em que os muçulmanos não comem ou bebem entre o nascer e o pôr-do-sol, fator que também poderá ter contribuído para a elevada mortalidade registada.
  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55
  • Democratas não venciam no Alabama há 27 anos
    1:50
  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.